Luanda - A Amnistia Internacional, AI, quer que se discutam os direitos humanos em Angola, durante a visita a Portugal do Presidente José Eduardo dos Santos.

A organização formulou o pedido em carta dirigida ao Chefe de Estado português, Cavaco Silva e ao Ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Aamado.

AI pede às autoridades portuguesas que José Eduardo dos Santos seja confrontado com as “ várias situações de violação dos direitos humanos e a falta de responsabilização da polícia angolana”.

A carta apresenta ainda questões como os “ desalojamentos forçados, o julgamento do jornalista Fernando Lelo, referido pela AI como prisioneiro de consciência, e os constrangimentos às organizações da sociedade civil.

A Amnistia Internacional aproveitou ainda a carta para voltar a apelar a José Eduardo dos Santos que "diligencie no sentido de ser facilitada a concessão de vistos de entrada ao 'staff' do Secretariado Internacional" da organização para se deslocar a Angola e discutir com as autoridades assuntos relacionados com os direitos humanos.

"Em Outubro de 2008, a organização solicitou à Embaixada de Angola em Londres vistos para dois membros da Amnistia visitarem o país em Novembro de 2008. A Embaixada foi sempre afirmando que não tinha recebido ainda autorização de Luanda para emitir os vistos. Desde então, a Amnistia Internacional tem insistido junto da Embaixada angolana, da qual tem obtido sempre aquela resposta", lê-se no documento.

“Não se percebe se ainda não têm autorização ou se não têm autorização ponto final. Algumas organizações dos direitos humanos – que não a Amnistia – têm sido obrigadas a não actuar ou a fechar a porta em Angola”, refere o documento.

Fonte: Apostolado



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: