Lisboa - Alguns familiares dos presos políticos acusados de planearem um atentado contra o Presidente José Eduardo dos Santos, nos termos de um “golpe de Estado”,  denotam que os seus filhos regressaram a casa com estranhos problemas de visão.

Fonte: Club-k.net

Como consequência dos  maus tratos do governo angolano

Tratam-se de Albano Bingo Bingo, Manuel Nito Alves, Arante Kivuvu,  Nuno Álvaro Dala  e etc, que doravante devem usar óculos conforme a prescrição do oftalmologista   que o Club-K teve acesso.

 

De acordo com pesquisas, os problemas de visão destes presos políticos terá sido em consequência das chamadas torturas psicológicas que o governo angolano exerceu sobre os mesmos mantendo-os em celas solitárias fechadas e escuras por período de varias semanas. Luaty Beirão chegou a ser mantido numa destas celas  solitárias  e escuras durante um mês como castigo por ter exigido os seus direitos enquanto detido.

 

Sabe-se que no momento em que eram soltos destas celas de tortura, o impacto da iluminação causava dilatação da pupila (ocular) resultando nas sequelas de visão que hoje os jovens acarretam.

 

Segundo consultas, este método de tortura implementado pelo executivo  do Presidente José Eduardo dos Santos é semelhante ao que presos políticos portugueses denunciavam dias depois da sua libertação após ao 25 de Abril de 1974, data da queda da ditadura que também imperava naquela antiga metrópole.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: