Luanda - A colisão que se observa,  no circulo da comunicação social, na pessoa do Ministro Rabelais e do DG da TPA Fernando Cunha terá sido agravada com a “injeção”  de intrigas alimentadas pelo DG da RNA, Eduardo Magalhães.

Ambos, Fernando Cunha e Eduardo Magalhães teriam tido uma conversa de caracter privado em que o DG da RNA puxou do responsável da TV um parecer sobre “altos e baixos” da figura do Ministro. Saído dali Magalhães foi ter com o Ministro Rabelais  contanto que o DG da TPA andou a falar “mal” de si. Desde então,  Manuel Rabelais passou  a nutrir reservas contra Fernando Cunha.

Factos:

- Rabelais e Cunha tiveram um mal entendido em Novembro de 2008
- Rabelais reuniu Sábado (6 Março) com altos funcionários da TPA na ausência do DG para transmitir o afastamento de Cunha que será substituto por uma comissão de gestão.

Na RNA, Magalhães é notabilizado pela habilidade de intrigas ou queixas. Tem o control da instituição para depois reportar ao Ministro que ainda tem um Gabinete ali (Rabelais passa algumas tardes na tarde na Radio)

Episódio parecido

As intrigas no Ministério atingem outros níveis. Há informações dando conta de comentários de assessores do Rabelais  em torno da figura do seu “Vice”  “Wadjimbi”. Tais assessores teriam a dada altura se queixado que “Wad” ia trabalhar em estado de ressaca ou meio embriagado. A “fofoca” chegada também aos ouvidos de um importante membro  BP do MPLA,  não agradou ao partido.  Rabelais teria sido alvo, dentro do regime, de apreciações “impugnantes” por ter permitido os seus inferiores hierárquico de fazerem anotações pejorativas contra um “homem do partido”.

Fonte: Club-k.net



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: