Luanda - A observação vêem expresso num texto publicado pela edição informativa “Muakuaxi” afecta a União de Tendências do MPLA cujo a integra do texto publicamos na integra.

As visitas efectuadas pelo camarada José Eduardo dos Santos (JES), como Presidente da República e do MPLA, nos três países europeus nomeadamente Alemanha, Espanha e Portugal, gerou duvidas à massa militantes do MPLA residente na diáspora.

Porque, segundo alegam alguns militantes, o camarada JES deveria conceder lhes uma audiência no sentido de abordar sobre momento actual do Partido. Pelo que tudo indica, até ao momento, estes camaradas poderão votar, ainda este ano, caso se realizar as eleições Presidências, para o nosso Partido.

No caso de Alemanha, esta é a primeira vez que o camarada JES, como Chefe de Estado, efectua uma visita naquela paragem, sem no entanto ter um calendário de poder se encontrar com a comunidade angolana ali residente. Em pleno século, isto é mesmo lastimável.

Estima-se que na Alemanha reside uma media de 8 mil e 600 cidadãos angolanos e se encontram localizados em diferentes estados daquele país. Entre os quais, os mil e duzentos cidadãos nacionais que residem na capital Berlim, aguardavam ansiosamente à chegada do Presidente de Angola e do MPLA, a partir do aeroporto local, para pelo menos ouvir o discurso de JES. Mas isto não passou de uma miragem.

Sendo representante de todos militantes do MPLA e não só, então não se percebe, porquê que o camarada JES tem tanto medo de sentar e conversar com estes camaradas?

Portanto, já não é de estranhar este comportamento do camarada JES, até porque não é a primeira e nem será a última vez, mostrar publicamente que não existe diálogo com seu povo e muito menos aceita conceder qualquer tipo de entrevista aos jornalistas locais para esclarecer os problemas internos do Partido e da nação.  

O mais arrepiante é que a visita de JES, à Alemanha, ocorreu em anonimato porque em Berlim nenhum órgão de comunicação social abordou sobre a sua chegada naquele país. E é bem provável que na Alemanha haja, também, alguns militantes do MPLA que não partilham com as actuais ideias do Partido.

“Havia fiéis do MPLA que manifestaram o seu descontentamento face ao comportamento do presidente do MPLA”, afirmou uma testemunha no local. Acrescentando que “isto explica que há muita gente dentro do Partido que não acreditam mais no JES, porque ele não respeita mais os valores culturais e tradicionais do povo angolano”.  

Há relatos que, no ano transacto, uma cé-lula do MPLA, em Berlim, criou uma afiliação da Organização da Mulher Angolana (OMA) que tem a missão de congregar as mulheres nesta organização para as futuras estratégias do Partido.
A representante máxima desta afiliação, encontrava-se tão ansiosa de participar no Fórum Alemão-Angola e tanto como os outros simpatizantes do Partido que vieram de diferentes partes da Alemanha, sentiram-se abandonados, traídos e deitados à frio de Inverno, no dia 27 de Fevereiro do corrente ano. Os camaradas passaram o dia todo esperando que acontecesse algum milagre, mas o tão esperado milagre não aconteceu, por fim acabaram por não participar do encontro e revoltaram-se.  

Em todas estas taras, amores tumultuosos, solidões há de tudo na vida deste camarada e companhia, cujo desmandos ficarão para sempre gravados no lado negro da história política angolana. Precisamos mudar rapidamente este quadro, caros militantes.
Ámen.

Fonte: Mukuaxi



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: