Nota de Responsabilização

Luanda - Nuno Álvaro Dala, professor universitário e investigador, réu do Processo 0148/15-A, em prisão domiciliária ilegal e inconstitucional,  Sirvo-me da presente Nota de Responsabilização e simultaneamente de Imprensa, para expor e deixar patente que:

Fonte: Club-k.net

1- Considerando o facto de que ao longo da prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Kakila e Hospital Prisão de São Paulo, por força das condições carcerárias desumanas, contraí várias patologias, a saber, infecção urinária, infecção sanguínea, gastrite, degradação da visão e outras doenças não identificadas até hoje, cujos sintomas me afligem sistematicamente,

 

2- Considerando o facto de que o Serviço de Investigação Criminal (SIC), os Serviços Prisionais e o Tribunal Provincial de Luanda - 14a Secção, insistem em não devolver a minha documentação pessoal (bilhete de identidade, cartõs de crédito, folhas de código etc.) e o meu dinheiro (38.000,00 Kz, que se encontravam na minha mochila no dia da detenção), impossibilitando-me de aceder às minhas contas contas bancárias,

 

3- Considerando que continuo doente e dependente dos falidos serviços públicos das autoridades carcerárias, não tendo eu alternativa,

 

4- Considerando que continuo sem conhecer os resultados de uma dezena de exames médicos (glicemia, creatinina, TGO, TGP, GGT, fosfase alcalina, exame citoquímico [LCR, LA, LP, LPC, LS ] etc.), feitos no Hospital Militar Principal (HMP), que as autoridades insistem em não revelar, RESPONSABILIZO PELO MEU ESTADO SANITÁRIO ACTUAL os senhores António Fortunato (Director Geral dos Serviços Prisionais), o Director do SIC, Januário Domingos (juiz da 14a Secção do Tribunal Provincial de Luanda), Ângelo da Veiga Tavares (ministro do Interior) e José Eduardo dos Santos (Presidente da República, Engenheiro e Arquitecto da má governação, do saque e da fome dos Angolanos),

Caso minha situação de saúde não seja resolvida pelas autoridades e me ocorram fatalidades decorrentes das patologias de que padeço, responsabilizo os senhores supramencionados.

Enquanto isto, mantenho minha posição de BOICOTE AO JULGAMENTO. Não irei a todas as próximas sessões de julgamento, que é, aliás, uma mentira e um lembrete triste de como este país está transformado numa anedota civilizacional.

Ao terminar, deixo claro e reitero que a cadeia, suas sevícias e o discurso dos angolanos cúmplices da ditadura do demónio José Eduardo dos Santos, NÃO DESTRUÍRAM MEUS VALORES, PRINCÍPIOS E CONVICÇÕES DE LUTA PARA QUE ANGOLA SEJA DEVOLVIDA AOS ANGOLANOS.

Subscrevo-me

Nuno Álvaro Dala

Luanda, 5 de Março de 2016



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: