Luanda - A ida a  Angola, do Santo Padre, foi por efeito, de um convite feito pelo Chefe de Estado angolano em Outubro de 2008 cujo portador foi Armindo Santos Vieira, Embaixador de Angola na Santa Sé.  De acordo com leituras “maliciosas”, o convite foi calculado tendo em conta a realização das eleições presidências que realizar-se-iam este ano. Servia para demonstrar a aceitação  externa de JES.

Comunicação social

- Antes de a comitiva papal ter  chegado a Luanda, o  porta-voz da Santa Sé, Padre Frederico Lombardi conferenciou com jornalistas (da  Art1-2, Ard Radio, Raí Mcr e Zdf da Alemanha), para aclarar o dossiê Radio Eclesia. Em resposta, os jornalistas “influenciados” deixaram para uma “próxima ocasião”, o tema “extensão da Radio Eclesia”
a) Circulam rumores em Luanda de que as autoridades angolanas recusaram debater o assunto com o Santo Padre

- O Santo Padre viajou no seu avião com cerca de  70 Jornalistas de diferentes “broadcast”. Estiveram repartidos em dois grupos. Os que acompanhavam o papa e os que faziam levantamento de imagens ou abordagem das acções sócias. Um ex oficial da UNITA, General Celestino Chitombi foi abordado sobre a situação dos ex militares. As imagens da entrevista passou no principal Canal da Alemanha no noticiário da noite.

- As transmissões em direito das imagens do papa foram da exclusividade da TV Vaticano. Os técnicos instalaram  um “centro de produção” no anfitriato  da escola São José do Clony.

a) O Vaticano previa instalar duas antenas satelite para agilizar o envio de trabalho dos jornalistas para as respectivas cadeias de televisão na Europa. Acabaram por colocar apenas uma devido aos “exagerados” custos,  a partir, de Luanda.
b) Os serviços de internet foram oferecidos pela UNITEL que disponibilizou-se a montar um “desk” de apoio no “centro de produção”
 

Impressões sobre Angola

- Os profissionais da comunicação social  que acompanhou o papa vieram com informações de que Angola é um país, onde se pratica a ditadura “agressiva”.  Fizeram uma comparação com Camarões e concluíram que Angola ainda é mais moderada. Reclamaram apenas os preços iniciando pelo hotel tropico, de Luanda, onde estavam hospedados. A diária no Hotel Tropico fica por 380USd que é um valor inferior ao Hotel Hilton de Yaoundé/Camarões onde estavam instalados.

- Vieram também munidos de informações a cerca dos impedimentos a algumas liberdade políticas e cívicas em Angola. Não observaram em Luanda casos de excessos de indivíduos detidos por serem da oposição conforme viram nos Camarões. Porém tém conhecimento de alguns casos isolados. Por exemplo:  Na Cimangola a policia prendeu cerca de 15 Jovens infiltrados na multidão   para pratica de roubo de telemoveis. (Uma imagem mostrando excesso de um grupo de policia contra um jovem  rolou no noticiário da noite do  ZDF TV da Alemanha)

Segurança

- O aparelho de segurança de Angola impressionou o  Papa. O Brigadeiro Gilberto Veríssimo, DG Adjunto dos Serviços de Inteligência Externa (SIE) coordenou  pessoalmente os operativos da segurança colocados/espalhados  nas redondezas  do protocolo de Estado do aeroporto de Luanda. Em Ultima da hora, o Brigadeiro Veríssimo alterou pequenas linhas de acção respeitante ao colectivo de religiosos que previam aguardar o santo padre, na pista.

Fonte: Club-k.net



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: