Lisboa - O Presidente José Eduardo dos Santos, esta na lista das “10 figuras do ano de 2008 ”, apresentada na edição de Março da publicação portuguesa Manchete.  Aquela  publicação argumenta que o Estadista angolano “atravessou o ano 2008 cumprindo com as promessas feitas anteriormente levando Angola a ter as primeiras eleições legislativas desde o fim da guerra civil que assolou o pais” .

Ao lado de Barack Obama e Cristiano Ronaldo

 

Eleições que segundo a Manchete, “missões de observadores da União Africana, União Europeia e Estados Unidos da América reconheceram como livre e justas”

Acompanham JES nesta selecção de figuras do Ano, mais nove personalidades, a saber: Barack Obama, (por ter sido o homem que, como novo presidente dos Estados Unidos promete mudança), o bancário Português Horácio Roque, (por mudar radicalmente a imagem do grupo BANIF a que dirige); Cristiano Ronaldo (que, como corolário de uma carreira de apenas oito anos se tornou no melhor jogador do Mundo), Alberto da Ponte (que levou a central de cervejas a liderança da Europa), João Talone (empresario português que negociou em 2008 a aquisição de cinco empresas ibéricas lideres nos seus sectores, nomeadamente nas renováveis, medicamentos genéticos e aluguer de equipamento); Kate Winslet (que marcou o seu currículo de actriz com a conquista de um Oscar); António Mexia (que conduziu a EDP a uma projecção mundial como líder assumido no negocio das renováveis, na conquista efectiva de novas concessões de barragens e na  afirmação da EDP como um dos grandes playres eolicos); Ana Jorge (que não se limita a ser uma Ministra da saúde e quer deixar o seu cunho no serviço Nacional de Saude).

Este reconhecimento  tem  rasgos a clientelismo, diz UNITA

Reagindo ao Club-k.net, a cerca da  indicação de JES como “ figura de 2008 ”, a UNITA, na voz do seu Secretario para as relações externas, o embaixador Alcides Sakala, questionou os critérios usados pela referida publicação afirmando que “Este reconhecimento da revista Manchete tem contornos políticos, com rasgos a clientelismo. Procura, deliberadamente, ignorar o desempenho do governo dirigido por José Eduardo dos Santos, Presidente da Republica de Angola, sobre questões sociais, que mais preocupam os angolanos.”

Por conseguinte, prossegue Sakala, “os critérios de selecção não foram científicos. Foram políticos, e muito menos intelectualmente rigorosos e honestos, porque procuram deliberadamente ignorar as observações e as recomendações da Missão de Observadores da União Africana, dos Estados Unidos da América, e da União Europeia sobre as últimas eleições legislativas de Setembro de 2009, a que se acresce, naturalmente, o último relatório da Human Rights Watch.”

Segundo Sakala  “Se a Direcção da Revista Manchete tivesse lido essas recomendações, e este ultimo relatório da HRW, teria, certamente, uma outra atitude. Logo, o critério de selecção assentou sobre premissas falsas, tendenciosas, assim, as conclusões também são falsas. Seja como for a revista é livre de reconhecer quem quer que seja na base de critérios que achar os mais apropriados.”

 A Manchete é, actualmente, a maior empresa portuguesa do sector da media e a única que desenvolve abordagem de gerar valor e enriquecer a informação pública disponível através do modelo tripartido entre Media, Reputation e Intelligence. Faz parte das principais associações internacionais do sector e iniciou a sua internacionalização com a abertura de Manchete Angola.

Tema relacionado:

Prestígio de JES comparado ao de Mandela

Fonte: Club-k.net



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: