Excelências as nossa cordiais saudações

ASSUNTO: RECLAMAÇÃO.

Por intermédio deste, nós os (89) oitenta e nove militares na condição de dificentes físicos do batalhão de convalescente e inatividades temporária da 5ª divisão de infantaria da região militar sul,Cuando Cubango Menongue. muito respeitosamente recorreremos a V/ excelência SR Presidente e Cmdante em Chefe. expormos o nosso problema ligado com os nossos nomes excluídos na folha de efetividade sem devido a volta do assunto.

Fonte: Club-k.net

SR Presidente nós os militar deficientes físicos e inactividade temporária, somos resultantes da Acções combativas de 1993, que ate neste momento aguardamos pela nossa integração condigna na sociedade para o melhor assumirmos as nossas famílias e fazemos parte da reconstrução desta pátria.

1.estamos chocados com a situação que nos afecta de tratar-nos de supostos colaboradores de umas direcções do Governo, mesmo com a nossa condição clara explicitas nos documentos que atestam o nosso grau de incapacidade militar.


2. Ao longo da nossa estadia nesta unidade tivemos visitas de vários generais que atónica da conversa para os militares deficientes e inatividade temporária era o estudo, aqui sublinhamos a visita do General Katata em 2003.

Esta mensagem foi alavanca de muitos de nós ter-nos superado academicamente e posteriormente com possibilidade de colaborar em alguns Ministérios com vínculo laboral temporário, porque a lei geral angolana de trabalho não reserva acesso os empregos aos cidadãos com mais de 35 anos de idade.

3.Perante esta situação, muitos de nós com créditos bancários validados pela repartição do pessoal da 5ª divisão com dois meses sem salário estaremos a qualquer assumir o risco deste crédito.

Os oitenta e um (89) militares deficientes físicos e inactividades temporárias reclamam unanimamente perante às autoridades de direitos acerca dos salários que auferiam nos anos passados, inclusive o primeiro trimestre do ano económico/2016.


A desactivação de oitenta e um (81) efectivos militares deficientes físicos e inactividades temporárias, aconteceu a partir do mês de Abril de 2016,. Será que o governo já lhes desmobilizou? Quando, Onde e Como?

Que benefícios lhes deu, para serem desactivados bruscamente do sistema informático de processamento de salários? Quando estão em paz os ex-militares e actualmente deficientes físicos já não prestam?


O Ministro da Defesa João Lourenço promete melhorar condições dos militares deficientes no Cuando Cubango? O ministro da Defesa Nacional, João loureço, disse dia 4/2/2016 no Cuando Cubango), que o Executivo angolano está a redobrar esforços para continuar a proporcionar melhores condições aos militares deficientes.

Como todos sabemos, disse, o conflito armado gerou situações que levaram muitos angolanos a viver em condições sociais particularmente difíceis, como é o caso dos militares que vivem nos Centro. Entretanto, o titular da pasta da Defesa Nacional garantiu que a solidariedade institucional e a assistência social vão continuar a ser uma das prioridades do Executivo, que está consciente e sensibilizado em atender as inúmeras preocupações dos angolanos que, por diversas razões, não podem resolver por, si só, os problemas que os afectam.

Segundo o ministro, o Executivo vai redobrar esforços no sentido de continuar a desencadear projectos e acções que viabilizem o acesso aos serviços sociais básicos, tais como saúde, educação, água potável e energia elétrica.

O Ministro João Lourenço garantiu ainda no Cuando Cubango dia 4/2/2016 que o Ministério da Defesa Nacional e as Forças Armadas Angolanas tudo estão a fazer para garantir aos militares deficientes uma reintegração condigna na sociedade civil logo que tal seja possível, conscientes de que o cidadão que tudo de si deu à pátria, merece condições condigno ou seja, a medida das suas aptidões, pois, em nada se diferem dos outros cidadãos nacionais. Com emprego e condições sociais garantidos, disse o ministro João Lourenço, os militares deficientes continuarão certamente a merecer o carinho e o respeito dos angolanos.


Ao terminar Sabendo que fomos militar, combatemos neste solo, para a libertação do pais, neste momento esta em paz, isto graça os esforços feito pelo militar, dos quais alguns foram morto pelo combate e outros ficaram feridos e deficientes físico. A deficiência que adquirimos não foi por nossa culpa. Como é possível que agora nos retiram da folha de salário sem nenhuma explicação e já estamos há dois meses sem honorário. Como vamos sustentar as nossas famílias?

O COLETIVO DOS MILITARES OFICIAIS, SARGENTOS E SOLDADOS SOMOS 89 MILITARES. QUEREMOS QUE A NOSSA SITUAÇÃO FIQUE REGULARIZADA.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: