Luanda - Um grupo de ativistas angolanos convocou uma manifestação contra o governo que foi violentamente reprimida pelas forças policiais em Luanda.

Fonte: Esquerda

Um dos ativistas agredidos no protesto deste sábado contra o governo. Foto do facebook de General MC Life.


Um grupo de ativistas angolanos convocou para este sábado, em Luanda, uma manifestação contra o governo que foi violentamente reprimida pelas forças policiais. Há relatos de um ativista ter sido atacado por um cão que lhe causou um ferimento profundo na perna e de pelo menos mais duas pessoas estarem feridas.

 

Na convocatória da manifestação era exigida liberdade incondicional para o grupo de 15+2 ativistas, José Eduardo dos Santos era culpado pela "má governação de Angola" e era exigida a sua demissão. Os manifestantes aproveitaram o facto de o VII congresso do MPLA ainda estar a decorrer para marcar o protesto.

 

No congresso, José Eduardo dos Santos, no poder há quase 37 anos, foi reconduzido na liderança do partido com 99,6% dos votos e dois dos seus filhos, "Zenu" (José Filomeno) e "Tchizé" (Welwitchia) dos Santos foram eleitos para o Comité Central do MPLA.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: