Benguela - A Associação OMUNGA vem por este meio denunciar publicamente, a detenção de mais dois activistas, Paulo Vinte Cinco e Francisco Catraio, do Movimento Revolucionário de Benguela, ocorrida, a 22 de Agosto de 2016.

Fonte: OMUNGA

A detenção ocorreu por volta das 18 horas, quando os jovens do MRB, estavam reunidos nas obras do futuro IMNE, Bº da Lixeira no Lobito.

 

De acordo às informações, o comandante da 4ª esquadra, Alberto Canjego, com cerca de 20 efectivos da polícia, transportados por uma viatura da patrulha, ocorreu ao local exigindo a retirada de todos do local considerando não poderem reunir-se ali. Quando os activistas pretendiam abandonar o local, iniciaram as agressões e as detenções dos dois activistas que foram transportados possivelmente para a unidade da 4ª esquadra.

 

Lembramos que os membros do MRB reunem-se normalmente naquele lugar abandonado, todos os domingos.

 

Já a 4 de Agosto, 4 activistas também do MRB foram detidos no 2º Tchimbuila, sendo acusados de “roubo qualificado”, “ofensas corporais” e “tráfico de drogas”. Neste momento, desses activistas, dois já se encontram soltos mediante pagamento de caução e permanecem presos o Kussumuna e o Justino Quintas.

 

Ainda hoje, em Luanda, manifestantes foram violentamente agredidos em Luanda perto do Largo 1º de Maio, quando pretendiam exigir a demissão do presidente da República.

 

Perante esta situação, a OMUNGA está preocupada com esta perseguição, agressão e detenção de activistas em Angola e exige a imediata e incondicional libertação dos mesmos.

Tais actos de violência policial e de repressão contra os direitos dos cidadãos não ajuda em nada a construção do país democrático que todos nós almejamos

José Patrocínio
Director Executivo
- Quintas de Debate



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: