Luanda - A polícia angolana impediu nesta quinta-feira, 1, a realização de uma manifestação a favor da soltura do activista Francisco Gomes Mapanda“Dago Nível Intelecto”, condenado a oito meses de prisão pelo Tribunal de Luanda.

*Coque Mukuta
Fonte: VOA

“Dago Nível Intelecto” recebeu a pena por considerar, no Tribunal Provincial de Luanda, “uma palhaçada”, o julgamento dos 17 activistas, condenados a penas de prisão de dois anos e quatro meses a oito anos e meio.

 

Nito Alves, um dos promotores da manifestação, disse que duas dezenas de pessoas estiveram presentes.

 

“Não vamos descansar e vamos continuar a pedir a liberdade do Dago Nível”, revelou o activista, que destacou no entanto o facto de não ter havido nem detenções nem espancamentos.

 

Entretanto, António Tomás “Nicolas Radical”, um dos 17 activistas, foi agredido na noite de ontem no seu bairro.

 

A agressão, segundo ele, terá acontecido à porta da sua casa e desconfia que o queriam assassinar.

 

“Esses indivíduos não queriam levar nem dinheiro nem as coisas que estavam comigo, não entendi porque é que pegavam facas e me cafricavam (batiam). Eles só queriam mesmo me matar”, denunciou.

 

No mês passado Mónica de Almeida, a mulher do activista Luaty Beirão foi raptada e depois libertada, enquanto Gertrudes Dala, irmã de Nuno Álvaro Dala, foi vitima de um assalto de natureza suspeita



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: