AO

EXMO. SENHOR MINISTRO DO INTERIOR DA REPÚBLICA DE ANGOLA.

C.C.:- SENHOR GOVERNADOR DA PROVINCIA DO ZAIRE

Antes, desejar os nossos respeitosos cumprimentos , rumo a uma Angola para todos Angolanos, causa essencial da Luta de libertação e a procura duma democracia beneficiaria.

O objectivo dessa carta, está assente na real descriminação a que o povo do Soyo, vem a viver desde os pretéritos momentos até hoje, por ausência de onde suas reclamações podem ter recepção e aceitação concreta, dado o silêncio dos seus representantes eleitos desde 2012, cuja presença deles na Assembleia Nacional, está condicionada pelos interesses pessoais. Respeitam e leiam com perfeita responsabilidade os intens a que lhe abrangem;

Seu silêncio, se assente nesse pensamento negativo a que vivem nos últimos dias, sem no entanto, culpabilizar o fenómeno “CRISE”, que o País vive e sempre viveu. Para vossa informação e devido conhecimento, queremos aqui informar que os órgãos do Interior nesse municipio, que pela sua potencialidade econômica e populacional, chama atenção aos membros desse Ministério em quererem trabalhar por e simplesmente nesse municipio, sobretudo os da área da Policia, o que tem resultado enorme sacrifício ao pacato cidadão;


- É proibido na verdade o trafico de combustível (Gasolina,Gasóleo e Petróleo), para o território do Congo Democratico, isto é, nas localidades do Muanda e Boma em alguns casos para Kinshasa (já que as duas primeiras têm ligação com Municipio do Soyo, da Ponta do Padrão a Pedra de Feitiço), cuja subida da mare, sem observância a hora, torna a principal passagem (passaporte) para o vai e vem das canoas carregados de bidões cheios e vazios, o trafico desses derivados do petróleo bruto;

 

O espanto, reside na não observância a medida de proibição ao pacato cidadão, que com a sua pessima possibilidade financeira, poderia adquir este ou aquele derivado e leva-lo para RDC, na busca de Usd-50/100 ou mais, bem como produtos alimentares (industralizados ou do campo), para o sustento da familia. Essa medida, vem a beneficiar desde a sua implementação (fecho de venda desses produtos no Kimbumba), os efectivos da extinta Policia Econômica (hoje integrados no SIC) e Policia da Fronteira, ao notarmos de vista nua;

- O Chefe Municipal do SIC, vindo da Policia Econômica, Sr. Biavanga, mesmo sem conhecimentos técnicos da matéria global (Juridica e Econômica), faz-se do principal traficante do combustivel, que a custo zero, vai se enriquecendo, já que, o combustível em bidões de plastico de com capacidade de; 30,40,50,280..litros, que é apreendido pelas mesmas áreas da Policia Nacional no Municipio, uma vez não entregue a Policia Fiscal (fiel depositário das Alfandegas), os da Policia de Fronteira e do SIC, tornam a entregarem aos seus homens (traficantes), que nos mesmos recipientes o levam para as localidades do Muanda e Boma, na busca do dólar americano;
Como resultado, Biavanga e a Sra.Helena (ambos funcionários do SIC no Soyo), mesmo com salário que auferem (cujo poder de comprar, está incapaz com a subida dos produtos no mercado informal, face ao dolar, e com ausência de crédito no BPC), o primeiro, sendo Chefe do SIC no Soyo, troca de carros (Jeeps), e comovidos em obras;

 

- O Sr. Suprentendente Zeca, Comandante da policia de Fronteira desde Dezembro de 2015 ( vindo do Posto Comando Nacional da Policia de Fronteira, na luta sobre o equilibrio social, confiscou (12) lanchas com respectivos motores, que se dedicam a essa actividade, assumindo-as como suas, onde cada viagem recebe Kz-250.000,00 a 300.000,00 e essas, são preorizadas em fazer 05/8 viagens o dia, sem qualquer obstaculo, já que os seus efectivos colocados nos postos fluviais da Tenda, Luamba, Curva-Curva, Ponta de Padrão e Porto Rico, os Senhores, Agente Zau (elemento de levantamento e pesquisa das conoas que transportam combustivel fora do circuito deles), agente da 1ª Maria Jeny Chefe do Posto do Luamba (mais produtivo, por essa razão nega frequentar um curso em Luanda ou gozar férias), agente Zangado e Agente de 1ª Julio, que têm as caracteristicas das mesmas lanchas, facilitando assim a passagem das mesmas no vai e vem ( Soyo-Muanda-Boma).Também estão orientados, semanalmente entregar ao Cmdte Zeca Kz-100 a 120 mil, como forma de os manter nesses postos. Na duvida Sr. Ministro, existêm competentes mecanismos para localizar sua casa em Luanda e ver em pouco tempo as obras a que esta beneficiar.


Fruto disso, o Sr. Zeca, aluga a caminho de quatro meses, uma viatura de marca Suzuky Gimmy por intermedio do cidadão Papi (Quinquila), no valor de Kz-10.000,00 o dia , totalizando assim, Kz-300.000,00 o mês. Alugou do Soyo à Luanda, uma viatura Misubsich de cor branca com matricula LD-83-24-DO, para consigo transportar as caixas termiccas e outros haveres aqui vai adquirindo na ilicitude do combustivel (cujo valores diarios a pagar não foram revelados, mas que esteve com esta durante duas semanas).

Não só, dele se sabe que com frequência; aluga viaturas Land-cruzer (vulgo Luanda hoje ou 18 Provincia), para simplesmente transportar Caixas termicas com peixe fresco, mariscos e carne de caça, coloca nos camiões madeiras que manda comprar nos chefes dos postos fluviais, madeira e é transportada para Luanda, alegando ser ordem superior da chefia central.

 

Após seu regresso de Luanda, reuniu a sós com o Chefe do Posto Fluvial (Suboficial Wabiluka) e com os respectivos chefes dos Destacamentos nomeadamente; Ponta de Padrão, Luamba, Curva-Curva e outros, tendo lhes atribuido a missão de cada um fornecer-lhe 90 madeiras, alegando ser orientação do Comando Nacional. Mas, dados obtidos situa-os de que essa madeira destina-se a sua obra de um ou dois pisos, localizados nos arredores do Estadio Nacional 11 de Novembro. Disse ainda, que ao adquirem essa madeira, ninguém pode mexer nas pessoas (traficantes) que consigo trabalham. Essa orientação, está deixar forte descontentamente aos seus homens, não só, mau ambiente por parte dos Oficiais encontrados que viviam dessa pratica, já que tudo ficou a seu criterio, beneficiando sozinho, do trafico dos combustíveis para RDC.


- A Policia de Ordem publica, na pessoa do Oficial Ngangula (iletrado), esquecendo que os Municipes do Soyo, fazem dos derivados do petroleo(Gasolina, Gasóleo e Petroleo), o seu dia a dia, desde a ausência da luz electrica, a actividade agricola e pescatoria, sempre move buscas nas bombas de abastecimento do combustivel, para a recolha de bidões cheios, cuja liberação pelos seus proprietários são cobrados valores elevados, não só, alegando ser ordem superior. Mesma atitude, assume para as ruas, bares e restaurantes, onde usurpa valores elevadíssimos aos cidadãos, sobretudo da RDC , cujo destino é desconhecido.

- Os efectivos da Policia de Viação e Transito, são movimentados em todas ruas, duas a três vezes a semana, no período das 06 as 12horas, em operações stop, cuja multas não têm conhecido qualquer deposito bancário e na conta do Estado, finalidade, beneficia o Comandante e seus efectivos.

Para terminar Senhor Ministro, dizer que essa fenómeno ambição, há forte indice de descontentamento entre as forças Policiais, não só, o Povo do Soyo é igual a outro de Angola, seus homens nesse Municipio, clamando da crise, que naõ é, por sinal vicio, matam essa população na defesa dos seus interesses e dos seus Chefes. Por essas e outras razões, sugerimos que;

- O Povo clama por troca na colocação nas Unidades Policiais, de elementos com cursos superiores na área de justiça, para melhor interpertação e respeito as normas jurídicas;

- Pede que os cargos de Chefe, não devem ser exercidos neste municipio no periodo superior a (03) anos;

- Solicitam nos bastidores o bom senso do Sr. Ministro do Interior, apresentar propostas concretas, que desperta o Governo Central, a necessidade desse Povo, beneficiar dos derivados do Petroleo, pagando os direitos tributários, evitando assim enriquecimento facil;

- Que sejam trocados os Cmdtes Kivango e Zeca, do Comando Municipal ,da Policia de Fronteira e Biavanga do SIC, para evitar o mal que criam, para com as forças Policiais e a população do Soyo. Colocando com mais responsabilidade e respeito a normas jurídicas.

Que têm em atenção os discursos de abertura e do encerramento, do VIIºCongresso do MPLA, proferidos pelo Eng. José Eduardo dos Santos , pessoa humana e de Deus.


Recordar conselho do cidadão Angolano que diz “o mal do Governo Angolano é de ter criado muitos Universidades no País”- Dessas sai uma nova população lucita e que vejam as coisas acontecer.

VOSSA EXPRESSA CONSIDERAÇÃO

CIDADÃOS ATENTOS DO SOYO



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: