Montreal - “A Angop, Tpa RNA e Jornal de Angola são órgãos sem crédito na diáspora”. “A divulgação exagerada dos acontecimentos do MPLA no Canadá estão relacionados aos trabalhadores da embaixada que têm fortes ligações políticas com o MPLA”. Estas contestações foram feitas por José Figueiredo (esq.), representante da UNITA no Canadá durante uma conversa que manteve com o Club-k e que repassamos na íntegra sem censura ideologica.

Durante o período da guerra civil e até inícios dos anos 90 a UNITA era o partido mais popular na diáspora angolana principalmente nos países “capitalistas”. Hoje o cenário é diferente. O MPLA tornou-se o partido com mais aderentes. Como justifica esta situação?
O MPLA é um partido sem história na América do Norte. As suas propagandas políticas não afecta e não atrai a consciência dos angolanos residentes na diáspora. Democraticamente a Unita tem muito mais simpatizantes desde os Anos 70 até 2009 nos países capitalistas e inclusive em Angola. O povo esta consciente que a mudança em Angola só será possível com a UNITA, um partido que luta contra a corrupção com o objectivo de instaurar justica social e ao mesmo tempo melhorar a qualidade de vida de todos os Angolanos.
  
Que meios informativos usa a UNITA no Canadá para recrutar novos membros e quantos membros tem aproximadamente registado neste momento?
A UNITA tem um número significante de simpatizantes. O recrutamento esta no espírito e nas consciências de cada angolano na diáspora tendo em conta a situação política e social que o regime do MPLA tem em vigor em Angola. Como se sabe o regime viola sistematicamente direitos humanos de todos os angolanos.
  
Poderia especificar os métodos que usa para o recrutamento de novos associados e providenciar o número aproximado de membros registados?
Os métodos são por via internet, telefone e por intermédio dos convívios sociais. E por outro lado, pelas meterias publicadas em vários órgãos verdadeiramente democráticos como o Club-k neste caso concreto que nos têm ajudado a difundir os princípios fundamentais de todos os partidos politicos e inclusive as do MPLA. Quanto ao número de membros da UNITA no Canada, adianto que temos aproximadamente 1000 simpatizando em todo o Canadá.

Tem sido fácil para a UNITA/Canadá recrutar novos membros?
Não temos problemas. A UNITA tem uma grande história na América do Norte como referi anteriormente. Desde os anos 70 nas formações dos seus quadros, por exemplo do falecido Jeremias Chitunda que foi formado aqui e tantos outros. O recrutamento e feito pela democracia e de espíritos de consciência como foram citados antes. O MPLA é quem têm corrompido alguns compatriotas através das famosas “festas” e em em encontros na qual tem feito promessas não validas.
 
A maioria das actividades do MPLA/Canada são divulgados na Angop e posteriormente repassados nos demais órgãos públicos em Angola. A UNITA/Canada tem feito uso destes órgãos públicos no Canada?
A Angop, Tpa RNA e Jornal de Angola são órgãos sem crédito na diáspora. Como se sabe estes órgãos difundem apenas aqueles temas que agradam o  regime do MPLA. Como resultado, o trabalho destes órgãos não têm contribuído o suficiente para a democracia e perspectivar uma consciência nacionalista. É lamentável a posição destes órgãos
  
A UNITA/Canada tem relações bilaterais com o MPLA/Canada? 
  Não temos conhecimento oficial do MPLA no Canada. O MPLA não tem espaço histórico no Canada. E como mencionei a falta democracia e definição das responsabilidades dos nossos representantes diplomáticos. A divulgação exagerada dos acontecimentos do MPLA no Canadá estam relacionados aos trabalhadores da embaixada que têm fortes ligações políticas com o MPLA. Independentemente destas manipulações de contra informação os angolanos na diáspora sabem a realidade angolana.
  
Quando diz que não tem conhecimento do MPLA/Canada quer dizer que nunca ouviu falar dos vários grupos do MPLA existentes no Canada, entre eles grupo da JMPLA e as várias células existes no território canadiano?
Se realmente existe o MPLA e JMPL no Canada não sabemos o que fazem  num país capitalista sem história. Mas isto não é importante para UNITA. O que nos interessa é lutar contra a ma governação e a corrupção e os direitos humanos dos angolanos e uma vida social melhor. Se o MPLA no Canada fosse verídico então que procurassem um órgão de informação totalmente independente para divulgar  as suas acções na diáspora e não num circuito fechado de informacão como Angop que não é credível para os angolanos no exterior. Vivemos num país aonde o governo alega ser totalmente democrático e não na Coreia do Norte nem Cuba ou China que a liberdade de expressão e interdita. Seria bom que os nossos irmãos do MPLA saíssem deste “buraco” político e de propagandas que em nada ajuda para a consolidadacão de um estado verdadeiramente democrático
 
E com a embaixada angolana no Canada a UNITA/Canada tem relações bilaterais?
 Não existe espírito nacionalista nos diplomatas angolanos no Canadá. Ainda têm que aprender como valorizar os angolanos na diáspora e não ve-los como inimigo mas sim como irmãos. Em minha opinião não existe uma aproximação tendo em conta a realidade do país e ao mesmo tempo tenho as seguintes inquietações sobre as embaixadas angolanas:
1) Qual é o plano concreto da embaixada Angolana num país como Canada? Não tem um plano concreto e lucrativo para os angolanos em geral.
2) Quantos quadros que existe no Canada e a mão-de-obra qualificada? Acredito que a embaixada não tem um levantamento concreto.
3) Qual é o projecto de regresso destes quadros e mão-de-obra qualificado numa Angola que dizem que existe desenvolvimento e paz social para os Angolanos? Não têm. Para existir boas relações entre embaixadas e angolanos residentes no exterior tem que se instaurar um governo verdadeiramente democrático, competente e existir mais aproximação entre estas duas instituições (diplomatas/angolanos residents na diáspora)  

Eleições

  Desculpa a minha ignorância mas por favor ajuda-me a entender o seguinte. A célula da UNITA/Canada, é uma célula dependente directamente da sede central em Luanda, ou tem a autonomia de criar um plano de trabalho em em separado?
Nós temos um estatuto a nível do partido e para todos em qualquer parte do mundo para ser cumprido e os seus regulamentos e  não existe uma autonomia dependente dentro do partido.

  Se a UNITA/Canada tem uma certa autonomia qual é o órgão da UNITA com a competência de rever se os programas de acção das células no exterior estam a ser cumpridas?
  Temos uma comissão criada para o feito e as células na diáspora submetem as suas acções aos representantes do partido das relações exterior o embaixador Alcides Sakala.

  Os resultados das legislativas tiveram um impacto directo na UNITA/Canada?
 Tiveram realmente a UNITA a diáspora foi impedida de votar os seus directos universais. O ministro disse que não havia condições ou vontade do regime realizar a legislativas no exterior que era uma pura mentira dizendo que não existiam condições As condições se criariam se existisse um governo transparente. O MPLA estava consciente que na diáspora com transparências não ganharia e por isso não lhe interessou em criar tais condições no exterior.  
 
UNITA /Crise

Um número considerável de observadores independentes acredita que a UNITA esta mergulhada numa crise desde as legislativas. Outros ainda sustentam a ideia que esta crise aumentará nas próximas legislativas. Que comentário tem a fazer sobre estas análises? 
  A Unita não esta mergulhada em crise. A historia da UNITA na tem fim e  nunca desaparecerá como partido político em Angola. Estas são propagandas do regime. Como a diáspora conhece perfeitamente, o MPLA aproveita o degradado nível social dos cidadãos para corromper as suas consciências. O regime MPLA tem feito propagandas a nível internacional que Angola não é apenas um país rico como também um país em fase de desenvolvimento em todos os níveis. Como se justifica o aumento da miséria visível dos angolanos. Um país em crescimento económico mas ainda existe a distribuição de energia de forma racionalizada. A água potável ainda pertença a classe privilegiada. Trabalhadores de vários órgãos do estado reclamam os pagamentos em atraso. Sem mencionar os serviços de saúde, o sistema judicial e sobretudo as violações dos direitos humanos. Todas estas deficiências, segundo o governo fazem parte do desenvolvimento económico aceleradíssimo em Angola.   A UNITA luta para o bem-estar dos angolanos. Esta luta esta simplesmente direccionada em melhorar as condições de vida do povo.

Durante a campanha eleitoral e depois das eleições vários membros influentes aderiram ao MPLA. Não estaríamos perante uma crise interna?
 Isto faz parte da democracia todos os cidadãos são livres de optar o seu destino politico. Temos que estar cientes que num aspecto verídico Para se ter um bom emprego em Angola não podes estar contra a visão ideológica do MPLA.
 
  No Canada a nível federal os partidos da oposição liderados pelo partido maioritário criaram um bloco para contrapor o partido Conservador no poder. Os resultados deste bloco são visíveis  (…)  Em Angola em abono da verdade os partidos são isolados. A UNITA/Canada, não acha que a UNITA esta em falta neste aspecto?
  No Canada é muito diferente o parlamento é democrático e sem rancor de consciência política. Uma  visão democraticamente cristalina. Em Angola o parlamento é um “bebe” que necessita de ir para escola aprender muito sobre  democracia e patriotismo. Não se percebem muitos detalhes na nossa política. Por exemplo, o presidente de um parlamento é um membro  influente do partido no poder. É obvio que não haverá transparência dentro do parlamento. A Unita e os outros partidos na oposição unidos não são capazes de impor contra a lei aplicado pelo o regime do MPL.(…) Porque eles tem aquela  maioria no parlamento que todos sabemos (…) Estes e outros factores são contra os princípios básicos da democracia e que em nada contribuem para o melhoramento do bem-estar dos angolanos.

E para terminar, gostaria de adiantar algo que não foi possível incluir nesta conversa?
 Gostaria de agradecer o Club-k pelo espaço concedido em nome da UNITA. A imprensa pública deveria optar em implementar princípios de inclusão e não de exclusão nas linhas editoriais, Aqui estaríamos a falar de mais prudência com os bens nacionais. A Angop deveria ser usada como uma propriedade pública e não como a voz oficial do MPLA. Enquanto, estes órgãos relatarem apenas o que agrada uma ala na estariam a contribuir para a consolidação da democracia através da liberdade de imprensa.

Fonte: Club-k



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: