Luanda - O Conselho Nacional de Comunicação Social (CNCS) por ocasião de mais uma jornada mundial consagrada a liberdade de imprensa que se assinala neste 3 de Maio, associa-se a todos os profissionais do ramo no propósito firme de contribuir, com os meios ao seu alcance, para que o jornalismo angolano assuma de forma cabal as suas responsabilidades na edificação de uma sociedade cada vez mais livre, democrática e pacífica.

O lema que a UNESCO, que é a agência da ONU que patrocina a jornada, escolheu para as celebrações deste ano do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa tem uma relação muito estreita com a situação de Angola, sete anos depois das armas se terem calado.

Ao colocar a ênfase nas “possibilidades que oferecem os meios de comunicação social para fomentar o diálogo, o entendimento mútuo e a reconciliação”, a UNESCO está a transmitir uma mensagem mundial, cujo alcance, consistência e utilidade os angolanos de uma forma geral entendem perfeitamente.

O CNCS está convencido que os jornalistas, de forma muito particular, saberão valorizar e utilizar os meios de comunicação social como espaços activos de diálogo e de reconciliação, na abordagem frontal e responsável de todas as questões que podem ainda dificultar o entendimento entre os angolanos.

Na sequência dos seus reiterados apelos em prol de uma maior abertura da comunicação social ao debate contraditório e à apresentação de uma informação plural, o CNCS aproveita o lema deste Dia Mundial da Liberdade de Imprensa para chamar a atenção dos jornalistas, enquanto gestores dos médias, para a importância do muito que ainda há por fazer em direcção à completa reconciliação de uma Angola, felizmente já pacificada.

Só num clima de liberdade de imprensa efectiva, que importa saber consolidar todos os dias, os jornalistas estarão em condições de explorarem em profundidade e com a necessária abrangência as possibilidades que a média oferece na promoção do diálogo, do entendimento mútuo e da reconciliação.

Com esta certeza, o CNCS felicita os jornalistas angolanos pela passagem de mais um Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, pela contribuição que todos têm dado na assumpção e defesa deste direito fundamental sem o exercício do qual, o projecto democrático de sociedade que estamos a edificar no nosso país deixaria de fazer qualquer sentido.

Luanda, aos 29 de Abril de 2009.

O Presidente,
António Correia de Azevedo

(Aprovada em reunião plenária realizada no dia 24 Abril de 2009)

Fonte: www.cncs-angola.blogspot.com



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: