Jorge ChicoteLisboa - As autoridades guineenses protestaram formalmente contra afirmações e/ou insinuações proferidas pelo vice-Ministro da Relações Exteriores de Angola, George Chikoty, numa mesa redonda na cidade da Praia, a 20 de Abril, segundo as quais teria havido uma atitude cúmplice entre o Governo e as FA (Forças Armadas) nos assassinatos de Nino Vieira e do General Tagme na Waie ou no modo como lidaram com o transe, noticiou o Africa Monitor Inttelligence na sua última edição.

O episódio, segundo a publicação dirigida por Xavier de Figueiredo, deu lugar a uma reacção do PM da Guiné-Bissau, Carlos Gomes Jr, presente na sala onde o decorria o acto (Mesa Redonda sobre Reestruturação e Modernização do sector da Defesa e Segurança da Guiné-Bissau).

Seguiu-se um ambiente tenso que a delegação cabo-verdiana, encabeçada pelo PM, José Maria Neves, se aplicou em tentar dissipar. As autoridades angolanas, incluindo o PR, José Eduardo dos Santos, reagiram de forma considerada contundente aos assassinatos do ex-PR (Nino Vieira) e ex-CEMGFA (General Tagme na Waie). Seguiu-se um abrandamento relativo das relações entre os dois países, mas ultimamente estava a verificar-se um retorno à normalidade, escreve o AMI.

Fonte: Africa Monitor Inttelligence
 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: