Lisboa - O porta-voz do Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA), Teixeira Cândido, garantiu, no passado dia 3 de Maio em Luanda, que em Angola há Liberdade de Imprensa.
Estou, como não poderia deixar de ser, em total (des) acordo com o porta-voz do SJA, Teixeira Cândido, que, quanto a mim, tem toda (e mais alguma) razão.
 
Acho sim senhor que em Angola (não) há, de facto e de jure, Liberdade de Imprensa. Quem diz e pensa o contrário da (in)verdade dita por Teixeira Cândido que se levante e,  se os tiver no lugar, atire a primeira pedra. 

Contudo, uma coisa é o facto de o SJA querer ser politicamente correcto aos olhos da comunidade interna e externa. Outra é, convenhamos, a verdade nua e crua que vai no sentido contrário da posição ora assumida publica e recentemente pelo SJA.
Não sei qual foi (é) a posição do SJA em relação ao facto de o Procurador-adjunto da República, Domingos Baxe, ter gozado recentemente com a "chipala" os jornalistas na província do Namibe.

Será que o SJA não tomou conhecimento do sucedido? Não acredito! Bem, vou dar uma ajudinha. A estória, avançada pelo correspondente da Rádio Eclésia no Namibe,  é longa mas conta-se de um só fôlego.

O Procurador-adjunto da República, Domingos Baxe, visitou recentemente o estabelecimento prisional do Namibe. Para tal convidou os jornalistas. Postos no local, os jornalistas foram, estranhamente, impedidos de entrar na cadeia.
A ordem, segundo o guarda prisional, terá sido dada pelo próprio Domingos Baxe que não se dignou, a posteriori, dar uma explicação aos jornalistas.

A atitude de Domingos Baxe constitui, para mim, um atentado à Liberdade (ah!, essa doce palavra!) de Imprensa que (não) temos em Angola. Honestamente não sei como é que o SJA classificaria este deplorável episódio…

* Jorge Eurico
Fonte:
http://jorge-eurico.blogspot.com



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: