Luanda - Não passava de um menino quando, junto dos manos, passou a ouvir do pai histórias ligadas à Medicina. Oriundo de uma família de médicos, o ministro angolano da Saúde, José Van-Dúnem (à esq.), que hoje comemora 58 anos, cedo olhou para a Medicina como uma saída importante para o futuro. “O meu pai dizia que havia duas profissões que nos podiam projectar socialmente e nos tornar úteis à sociedade: uma era a de padre e a outra, de médico”, disse em entrevista ao Jornal de Angola há alguns anos.

O facto de ser primo de Américo Boavida, médico e dirigente nacionalista, cujo nome foi dado a um dos hospitais da capital, serviu também de incentivo para José Van-Dúnem e os irmãos optarem por Medicina.

Segundo o Jornal de Angola, o nosso ministro da Saúde é irmão das doutoras Ana Van-Dúnem (ginecologista), Gina Van-Dúnem (cardiologista) e Vanda Van-Dúnem (dermatologista) e dos doutores Joaquim Van-Dúnem (pediatra) e Zé Carlos Van-Dúnem (anestesista). Gente deseja um feliz aniversário e longa vida ao ministro José Van-dúnem e a toda a família Van-Dúnem, para que possam continuar a cuidar da saúde dos angolanos. Parabéns, José Van-Dúnem.

José Van-Dúnem e Rui Mingas são primos e comemoram aniversário no mesmo dia

De acordo com o Jornal de Angola, num dia como hoje, o país viu nascer um grande homem do desporto, da música, da política e sobretudo da cultura angolana. Rui Alberto Vieira Dias Rodrigues Mingas, que hoje comemora 70 anos, é dono da voz melodiosa que se faz ouvir nas letras “Makezu”, “Mbirim Mbirim”, “Morro da Maianga”, “Minha terra”, “Namoro”, “Muxima”, “Muimbu Ua Sabalo”, da autoria de escritores angolanos como Agostinho Neto, António Jacinto, Mário António, Filipe Zau, Viriato da Cruz, Mário Pinto de Andrade e Manuel Rui Monteiro. É oriundo de uma família de artistas e tinha 14 anos quando lhe nasceu o desejo de cantar, influenciado pelo tio Liceu Vieira Dias. “Este, sim, foi a minha grande influência. Eu tinha tendência a imitá-lo”, disse certa vez em entrevista ao Jornal de Angola.

Nacionalista por excelência, Rui Mingas, que exprime nas suas canções um grande amor por Angola, chegou a ser preso nos anos 60, quando cantava às escondidas, em Portugal, temas intervenção como “Monangambé”, de António Jacinto e permaneceu 16 meses numa cadeia militar na Guiné- Bissau.

Doutorado em Ciências da Cultura e do Desporto, Rui Mingas, que foi campeão absoluto de atletismo em Portugal, administra actualmente a Universidade Lusíada de Angola. Gente deseja um feliz aniversário e muita saúde a Rui Mingas, que há muito deixou os angolanos com saudades de vê-lo em palco.

Fonte: Jornal de Angola



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: