Windhoek - Em Angola o direito a vida, a liberdade, a participação politica e civica na condução dos destinos da nação são pura e simplesmente negados ao povo angolano pelo regime que hoje goza dos seus 81%, por cento, conquistados a 5 de Setembro 2008, pela magía da corrupção e fraudes para manter o José Eduardo dos Santos ao emprego vitalicio no poder servindo-se da corrupção para conquistar amizades. 

É chegado o momento para os angolano saber identificar qualidades que mudarão a presente detestavel imagem destes governantes, que mergulharam o pais numa grande espiral de constantes violações dos princípios democrarticos e de direito, o que muitos tem dos angolanos, causado tanta pobreza e muita miséria. Acredita-se que José Eduardo dos Santos 33 anos da sua governação no sistema autocratico, confirma-se que esta diante de um regime de promessas sem projectos de governação. Muito recentemente a quando da chegada do Papa Benedito o Presidente dos Santos teria afirmado que “os efeitos da paz lançada em 2002 ja se fazem sentir na vida dos angolanos ”. Foi bem ouvir da sua excelência estas fraziologias. Mas lembra-se  que em Angola,

Não existe o respeito pelos direitos humanos; 
Não existe um Governo transparente;
Não existe uma magistratura independente;
Não há uma Comunicação social livre;
Não existe requisitos para construir uma Administração Pública honesta;
Não existe uma rede de escolas e de hospitais que funcionem de modo adequado;

Tudo isto nos faz ver que em Angola a democracia esta arruinada ou senão uma democracia defachada, pôs que não há separaço de poderes e o poder judicial dá cada vez mais provas da sua parcialidade, alias presta vassalagem a quem os pos nesses cargos, porque senão vejamos: O poder politico financia figuras para destabilizar os seus opositores. Chama-se a isso a boa governação para um estado democratico e de direito?

A democracia precisa de ter garantias da lei, para a defesa dos angolanos e não estar ao serviço de uma elíte, que por meios da corrupção e do dinheiro facil ganho a custa de vantagens arracandas por vias ilícitas, para alimentar apenas um núclio que se enriquece ao detrimento da maioria a custa daquilo que é publico e é o bem comum.

É tempo do espirito democratico reinar sobre a patria angolana. E é urgente reconquistar a dignidade e o orgulho dos angolanos no sistema propriamente democratico que representa alternância, a abertura de oportunidade, e não oportunidades para uma castas familiares, criadas pelo MPLA, dividida entre individúos que apenas tem obrigações e deveres e individúos que apenas tem direitos e privilegios.

Repugna-nos quando verificamos que o povo angolano esta quase todo a miséria, desempregado, enquanto familiares do Presidente José Eduardo dos Santos, concentra todas riquezas com rendimentos absolutamente fabulosos de dimensão astronomica a escala das fortunas deixadas pelo Joseph Desire Kabila e Mobutu Seseko Kukuwendo Wa Zabanga do Ex- Zaire actual DRC. É arrepiante quando se escuta as declarações do governo  na voz do Vice-ministro da Industria Kiala Gabril, anúnciando que o governo angolano preve aplicar oito (8) bilhões e 690 milhões e 392 mil norte americanos na implementação do programa Executivo do Sector da Industria Transformadora no periodo entre 2009/2012.

Ora senão vejamos: os deslocados internos na provincia do Cunene causada por calamidades das cheias e os recentes sinistrados da Ilha de Luanda na Zona do Zango desalojados pelas calemas muito recentemente, ja mereceram uma assistencia humanitaria? Compreêndo que José Eduardo esta mais empenhado para defender os interesses economicos de certos individúos e familiares do que protejer os angolanos, ainda mais aceito que o governo queira gastar pouco dinheiro porque os verdadeiros angolanos são considerados como os da 3 classe nada, os comparados com a importância da familia de Dos Santos.

Constata-se a falta de seriedade e boa governação da parte deste regime do MPLA-pt. As vìtimas das calamidades choram por falta de solidariedade da parte do governo que não disponibiliza comida, assistência medica e medicamentosa até por fim sem tendas para se abrigar das chuvas que continuam a cair naquela zona. So que o sistema de igualdade democratica em Angola está so no papel, porque na realidade há mais angolanos de todas categorias e para todos os apetites.

Infelizmente angola, proporciona bons negocios pertecente aos da primeira classe. São dentre estes crimes contra a humanidade que os angolanos  deveriam evocar a necessidade da criação de uma Comissão da Verdade e Reconciliação Nacional, conforme aconteceu na Africa do Sul para que se saiba o fundo das coisas dos que consciente e inconscentemente estam a causar este sofrimento, desviando as nossas riquezas.

O governo angolano não pode esperar nenhuma reputação do mundo democratico, quando as suas populações morrem de fome, na provincia do Cunene, por falta assistência medica e medicamentosa, dormem nas ruas, andam com calças rotas em plenas arterias da cidade e os orfãos são atirados ao relento e o que também acontece com a perseguidos aos jornalistas que são espancados, presos e julgados injustamente. Claro tarde ou cedo os seus autores seram levado ao Tribunal Crimes contra a Humanidade.

 

* Emilio Mango
Fonte: I A A D H e.V.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: