O partido no poder em Angola, na voz do seu Secretario para informação de Luanda, Fragata de Morais (na foto), desvaloriza a existência de uma facção  interna, neste caso a UT-MPLA, liderada por um conhecido General na Reserva, Silva Mateus. Fragata de Morais, nega que os membros da “UT-MPLA” sejam militantes do partido. Fragata evoca a sua posição argumentado-se com base nos estatutos partidários.

Por sua vez, o General Silva Mateus, num  frontal desafio a direcção do seu partido realçou que a direcção do Mpla tem conhecimento do seu grupo. Chegou mesmo a estimar que o seu partido poderá  um dia enfrentar sérios problemas de roturas  quando  Deus retirar da terra, o actual presidente JES. A respeito da sua militância posta em causa por Fragata de Morais, o General na reserva desdramatizou as palavras do seu colega realçando ser militante da “primeira hora” e com militância desde 1974.

De recordar que Silva Mateus foi promovido a General no âmbito da sua filiação ao extinto braço armado do MPLA. Esteve preso nos finais dos anos 70 na seqüência das lutas internas provocadas pela onda “27 de Maio”. Presentemente coordena a União das tendências que segundo definem os seus militantes é uma corrente interna partidária que faz a luta dentro do próprio partido. Para alem da democratização interna, esta corrente defende a realização de um congresso com múltiplas candidaturas e acusa a direcção do partido de praticas consubstanciadas ao desvio dos estatutos.

A sua existência da UT-MPLA foi pela primeira vez denunciada pelo Presidente do MPLA, José Eduardo dos Santos, numa reunião interna. Na altura, JES mencionou-os porque estavam a distribuir plaflectos dentro do partido.

Recentemente, foram citados alguns militantes da UT-MPLA como estando a manter contactos secretos com Fragata de Morais. Este  justificou que lhe receberia na condição de cidadão ou pessoa idônea e não como dirigente partidário tendo condicionando os contactos como caracter privados sem que os seus interlocutores  pudessem vazar a media ou a terceiro acerca do que  estava  a ser posto na mesa. Após tornados públicos, os contactos em curso foram rejeitados por uma das partes que enviou uma nota ao Club-k.net.

Tema relacionado:

MPLA pune militante que deu entrevista sem autorização

MPLA agitado internamente

As razões das nossas discordâncias - UT-MPLA

Corrente interna do MPLA defende congresso com dois candidatos

*Rosário Neto
Fonte: Club-k.net

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: