Luanda - Boa tarde estimados; Venho por essa via trazer ao vosso conhecimento uma grave violação e falta de profissionalismo e de respeito aos consumidores por parte da empresa SONAIR.

Fonte: Club-k.net

Desrespeito a Consumidores

No dia 10 de Fevereiro, por volta das 15 horas, cheguei eu mais minha esposa ao Aeroporto 4 de Fevereiro, Terminal Domestico de Partidas para efectuar o check in do voo que a SONAIR tinha um voo programado de Luanda para Catumbela (SO 208) com partida prevista as 18:30. Postos la para efectuar o check in do referido voo, fomos informados de que por causa de problemas de iluminação na pista do aeroporto da Catumbela, o voo programado (um aparelho Boeing, com capacidade para transportar maior numero de passageiros) partiu mais cedo, sem que no entanto alguns, ou todos passageiros tenham sido informados. Com o propósito de minimizar o impacto, visto que grande numero de passageiros ficariam sem os referidos serviços,a SONAIR preparou mais duas Aeronaves, de menor capacidade, uma ja havia partido aquando da minha chegada ao Aeroporto e a outra tinha previsão de descolagem por volta das 16 horas. Importa referir que o primeiro voo adicional que ja havia partido antes da minha chegada ao Aeroporto, apenas transportou um total de 5 passageiros, tendo este capacidade para pelo menos 18 passageiros.

 

Feito o Check In para o segundo voo adicional previsto para as 16 horas, 14 passageiros foram conduzidos da Sala de Embarque para a referida Aeronave na Placa do Aeroporto, fizemos os devidos reconhecimentos de bagagens e quando ja estávamos prestes a embarcar, um funcionário da empresa SONAIR, que presumivelmente seria o coordenador de Embarque, depois de muito estar a dialogar com alguém partir do seu Radio de Comunicação, pergunta em voz alta se existia nos passageiros algum familiar do senhor Jose Filipe, e ninguém respondeu, ao que se pode concluir que não havia. Um dos funcionários presumivelmente da sinal para o embarque, um dos passageiros ja estava nos degraus que davam acesso a Aeronave, mas o suposto coordenador de Embarque nos pede que fiquemos ainda em standby enquanto ele acabava de se comunicar com alguém via Radio. Escassos minutos depois, nos informa que teríamos de regressar ao Autocarro que nos transportou ate a Aeronave para que eles pudessem resolver alguns assuntos operacionais. De notar que durante todo esse processo, o presumível Coordenador do Embarque, estava constantemente a responder a chamadas ao Telefone e Radio de Comunicação nas quais se tornou óbvio que existia um grupo de pessoas familiares de um senhor José Filipe (era o que se podia ouvir do funcionário da SONAIR que coordenava o embarque de passageiros) que necessitava de embarcar para Catumbela.

 

La atendemos aos pedidos do pessoal da SONAIR de regressarmos ao Autocarro para que eles pudessem resolver os assuntos operacionais, voltamos ao Portão 5 do Terminal Doméstico de Partidas, o suposto coordenador de embarque pediu-nos que saíssemos do autocarro porque o voo estava cancelado. Achando tudo aquilo muito suspeito, nós, o colectivo de 14 passageiros, nos recusamos a sair do Autocarro sem que alguém nos explicasse devidamente o que se estava a passar. Neste exacto momento, o suposto Coordenador do Embarque da SONAIR retirou-se do local, caminhou em direcção aos Escritórios da SONAIR e ja não mais voltou para juntos dos clientes da sua empresa, com os quais tinham compromissos e responsabilidades por assumir. Sem que ninguém da SONAIR se dignasse nos explicar o que se estava a passar de concreto, ficamos nós, os 14 passageiros (inclusive uma criança que aparentava ter a volta de 9 meses a 1 ano de idade) dentro do Autocarro da SONAIR frente ao Portão de Embarque, isso por volta das 16 horas. De notar que o suposto Coordenador de Embarque, funcionário da SONAIR, por vezes aparecia no horizonte visual dos seus passageiros, mas nunca a menos de pelo menos 200 metros de distancia, isso para não ter o incomodo de prestar os devidos esclarecimentos sobre o que se estava a passar.

 

Para nosso espanto, enquanto estacionados frente ao Portão 5 do Terminal Doméstico de Partidas, conseguimos ver que o pessoal da Empresa SONAIR usando outros meios retiraram as nossas bagagens que ja se encontravam na Aeronave programada para nos transportar a Catumbela e colocaram outras bagagens de outros passageiros, minutos depois, vimos um outro Autocarro a transportar outros passageiros (a volta de 8 ou 10) que se dirigiram para a Aeronave da qual nós e as nossas bagagens foram retiradas, passageiros esses que supostamente tenham feito o embarque por um outro ponto qualquer mas não pelo Terminal Domestico de Partidas, visto que nós, os então renegados, que estávamos frente ao Portão 5 deste Terminal, os vimos virem de outro lugar. Inevitavelmente, frente aos nossos olhos, outros passageiros embarcam na referida Aeronave, onde nós já estávamos prestes a embarcar, e o voo toma o seu rumo, presumivelmente em direcção a Catumbela fazendo-se transportar, também presumivelmente pelos familiares do senhor Jose Filipe, visto que foi esse o nome que se ouvia durante todas as manobras de abandalho efectuadas pelos funcionários da SONAIR.

 

La ficamos nós, dentro do Autocarro da SONAIR, sem explicação nenhuma e frequentemente as sermos pedidos por funcionários afectos a Empresa de Prestação de Serviço BlueAir (isso a mando dos funcionários da SONAIR, que estavam todos foragidos ate então e ninguém dava a cara) que nos retirássemos do Autocarro para a Sala de Embarque e que viria alguém da SONAIR para nos prestar os devidos esclarecimentos. Não satisfeitos com os tratamentos ate então a serem prestados pela SONAIR, nos negamos sair do Autocarro ate que se resolvesse o assunto, sabíamos que se fossemos a Sala de Embarque, a SONAIR teria muito mais espaço de manobras para pura e simplesmente nos abandonarem ali sem nenhuma explicação e responsabilização, visto que isso ja estava a acontecer bem ali aos nossos olhos.

 

Depois de vários tentativas de nos retirar do Autocarro, a mando dos funcionários da SONAIR, finalmente apareceu um funcionário da SONAIR de nome António Sousa por volta das 17:30 que começou por se desculpar pela mudança de Aeronaves e atrasos de cariz operacional, portanto, tentando omitir ou mesmo se fazer de despercebido de nos terem abandalhado e entregue a Aeronave que ja estava programada para nós a outras pessoas, e informou-nos de que a Aeronave que nos iria transportar ate a Catumbela so iria partir as 18:15 e que até lá deveríamos sair do autocarro e regressar a Sala de Embarque. Numa clara falta de confiança a empresa SONAIR, nós, colectivo de passageiros negamos tal pedido e afirmamos que somente sairiamos do autocarro para embarcar na Aeronave para Catumbela, visto que receávamos que uma vez postos na Sala de Embarque, o nível de falta de profissionalismo e desrespeito aos consumidores e clientes por parte da empresa SONAIR simplesmente iria aumentar. O senhor António Sousa assim consentiu que ali permanecessemos. Houve alguns questionamentos de alguns passageiros, uma passageira perguntou se as luzes do aeroporto da Catumbela estavam reparadas, ao que o senhor afirmou positivo, contudo lhe foi mostrado que a informação dele não era de confiança e lhe foi alertado para que não pusesse a vida de passageiros em risco. Informei ainda ao senhor Antonio Sousa de que toda aquela ocorrência estava a ser registada e que iríamos dar seguimento a uma queixa pela falta de profissionalismo e irresponsabilidade da SONAIR, ao que o senhor Antonio Sousa informou que podíamos usar o livro de reclamação da Loja e que também a pedido nosso, forneceu o endereço de e-mail para uso, se achado necessário.

 

Depois de várias horas de espera, sem k no entanto ninguém nós fosse actualizando sobre nada nem ja para velar pelo nosso bem estar, visto que no colectivo de passageiros haviam crianças e um bebe de colo inclusive, la nos vieram informar que podiamos embarcar. Partimos de Luanda por volta das 19:35 e o voo teve a duração de 1 hora até ao aeroporto da Catumbela. Podemos constatar antes da aterragem que de facto a pista do aeroporto estava iluminada e não parecia ter problema algum.

 

Contudo, fica aqui depositada essa ocorrência, que nós, enquanto clientes e consumidores condenamos essa atitude grave, sem ética, falta de profissionalismo, irresponsável e discriminatória, por parte da SONAIR, porque ate aqui, nos esta muito claro que a SONAIR abandalhou e brincou com um conjunto de 14 passageiros, retirando-nos duma Aeronave ja prestes a embarcar para ceder a um grupo de pessoas que presumivelmente, para a SONAIR sejam mais importantes e que nós, como se nada fossemos, podiam simplesmente nos atirar a deriva.

 

NOTA: tive consentimento de todos os passageiros afectados nesse cenário para que escrevesse essas linhas em seus nomes também.

Obrigado/Thanks
Guiomar Chitunda



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: