Barcelona – Omar Ondimba Bongo, 74 anos, presidente do Gabão desde há 41 anos, apontado como o dirigente no mundo que há mais tempo permanece no poder, foi hospitalizado numa clínica em Barcelona, Espanha, em estado muito crítico. 
 
Segundo fontes hospitalares e diplomáticas em Madrid que pediram anonimato, Omar Bongo sofre de um cancro intestinal foi internado há cerca de dez dias na clínica privada Quiron, Barcelona, na sequência de um agravamento súbito do seu estado de saúde. Miguel Angel Moratinos. Ministro do Assuntos exteriores espanhol, reconheceu também ao diário La Vanguardia que Omar Bongo «está muito mal».

Omar Bongo que durante anos foi considerado o «embaixador dos interesses franceses» no continente africano declarara que «África sem a França era o mesmo que um carro sem motorista». No entanto viu as suas relações com Paris deteriorarem quando a justiça francesa abriu, a 6 de Maio, um inquérito aos bens imobiliários pessoais do presidente supostamente adquiridos com fundos públicos, um processo que foi alargado aos presidentes de Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, e da República do Congo, Denis Sassou-Nguesso.

Entretanto começou já a corrida ao lugar de Omar Bongo na chefia do Gabão. Ali Ben Bongo, 49 anos, filho do presidente e ministro da defesa, durante um discurso insinuou que poderia suceder o seu pai, mas o seu cunhado, casado com Pascalina filha do presidente, ministro dos assuntos exteriores também não esconde a sua pretensão ao trono da república.

Apontado como um ditador para uns e um déspota para outros, o «reinado» de Omar Bongo no Gabão, quinta potência petrolífera de África, ficará marcado pela corrupção e controlo dos seus opositores.

Com a forte quebra das receitas petrolíferas, Omar Bongo decidiu orientar o Gabão para o turismo declarando cerca de 11 por cento do país reserva natural, mas não impediu o desenvolvimento da devastação florestal pelas empresas madeireiras chinesas.
 
Fonte:  PNN Portuguese News Network



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: