Luanda - O sindicato dos jornalistas está preocupado com as comissões criadas pelo ministério da Comunicação social para gerirem a TPA e a Rádio Nacional de Angola.

O Ministério da Comunicação Social cessou as funções das direcções gerais da Televisão Pública de Angola (TPA) e da Rádio Nacional de Angola (RNA), tendo criado comissões técnicas de reestruturação, no âmbito do seu Programa de Reestruturação e Saneamento Financeiro das Empresas Públicas do sector.

Segundo uma nota, o Ministério da Comunicação Social cessou as funções das direcções gerais da Televisão Pública de Angola (TPA) e da Rádio Nacional de Angola (RNA), tendo criado comissões técnicas de reestruturação, no âmbito do seu Programa de Reestruturação e Saneamento Financeiro das Empresas Públicas do sector.

 Em cumprimento desta determinação, foram igualmente criadas Comissões Executivas encarregues de interinamente despachar os assuntos correntes das empresas;

As comissões são integradas por quadros do sector, técnicos do Ministério da Economia e consultores especializados para a área de reestruturação orgânica, funcional, administrativa e financeira e para a área da produção jornalística;

Em reacção a este o comunicado o Sindicato de Jornalista diz esperar que as comissões criadas para gerirem a TPA e a Rádio Nacional de Angola possam melhorar a qualidade dos serviços prestados por estes órgãos de informação;

Recorda-se que para a Rádio Nacional de Angola, a Comissão Executiva é coordenada por Filipe Diatézwua, que trabalhará com Perpétua Cabral e Cândido da Rocha Pinto, enquanto a Comissão Técnica de Reestruturação é coordenada por Bartolomeu Sacramento, e integrada por Filipe Diatézwa e Lázaro Paulo.

E a Comissão Executiva da Televisão Pública de Angola é integrada por Hélder Bárber, como coordenador, bem como Gil de Almeida e Susana Mata. A Comissão Técnica de Reestruturação é composta por Sérgio Neto (coordenador), Hélder Bárber e a deputada Welwitchia Dos Santos.

Sobre os membros que constituem as comissões a Presidente do Sindicato dos Jornalistas diz não concordar que um deputado ou deputada faça parte da comissão e considera ser uma questão que deve ser revista pelos órgãos de direito. 

Fonte: Radio Ecclesia



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: