"Estas pessoas mal formadas só sabem uma coisa..."

Percebem que a pedrada é um método fácil e rápido de gratificação e assim andam pela calada da noite, de árvore em árvore a atirar as suas pedras à criatividade alheia e a usufruírem das vitaminas dos frutos dos outros.

Como este é um comportamento típico de pessoas que actuam por instinto e de forma imediatista, os autores das pedradas nem sequer sabem que cada árvore que apedrejam vai produzir novos frutos, provavelmente mais doces e suculentos do que no apedrejamento anterior.

Estas pessoas mal formadas só sabem uma coisa: o seu sucesso depende exclusivamente de atirar pedras às árvores alheias. Às vezes, as mangas ainda estão verdes, mas eles disparam só pelo prazer de atirar as pedras.

Como têm dificuldade em pensar, nunca saberão que ganhavam muito mais se plantassem a sua própria árvore a partir de uma semente, para ao fim de alguns anos colherem os frutos na época própria.

Pelo contrário, preferem continuar a atirar as pedras, por vezes sem direcção. Correm o risco de, por engano, um dia errarem o alvo e partirem os vidros da sua própria casa. Mas correm riscos mais graves: na ânsia de abanarem a árvore do vizinho, podem cair do muro sobre o qual se colocam para atirar as pedradas e esconder a mão.

Enquanto isso, os bons vizinhos que plantaram a primeira árvore, com a sua iniciativa e força de vontade, vão plantar a segunda e a terceira árvore, até terem um pomar de sucesso e reconhecimento, repleto de árvores com suculentos frutos.

A maior parte das vezes, os construtores de pomares, focados no seu trabalho e no lado positivo da vida, nem sequer chegam a perceber que alguém esteve a atirar pedras às suas árvores na calada da noite e a comer alguns dos seus belos frutos.

* Welwitschea “Tchizé”
Fonte: Jornal de Angola



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: