Luanda - O presidente da CASA-CE, Abel Chivukuvuku, convocou hoje o conselho presidencial daquela coligação de partidos angolanos para entre sexta-feira e domingo, em Luanda, para analisar "cenários prováveis" pós-eleitorais.

Fonte: Lusa

De acordo com uma informação daquela coligação, o conselho presidencial vai decorrer na ilha do Mussulo "com a finalidade de se proceder ao estudo das probabilidades e lançar as projeções pós-eleitoral em função dos cenários prováveis", em função das eleições gerais realizadas em Angola na quarta-feira.

 

A votação, que visa a eleição direta da Assembleia Nacional (220 deputados) e indireta do Presidente e vice-Presidente da República, decorreu em todo o país durante as 07:00 e as 18:00, tendo a Comissão Nacional Eleitoral (CNE) constituído 12.512 assembleias de voto, que incluíra 25.873 mesas de voto, para um total de 9.317.294 eleitores em condições de votar.

 

Durante o período de campanha eleitoral, o presidente e cabeça de lista da Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral (CASA-CE) às eleições gerais, Abel Chivukuvuku, mostrou-se convicto de que aquela força será, pelo menos, parte do novo Governo, não excluindo uma "coligação à angolana" com União para a Independência Total de Angola (maior partido da oposição) ou Movimento Popular de Libertação de Angola (partido no poder desde 1975).


"Nós já anunciamos no ano passado que a CASA-CE tem probabilidade de ser Governo. Se não for Governo, no mínimo vai ser parte do Governo", afirmou Abel Chivukuvuku, confrontado pelos jornalistas com a disponibilidade já demonstrada pelo presidente e candidato da UNITA, Isaías Samakuva, para um entendimento pós-eleitoral.

 

"Por Angola, pela mudança, temos que por todas as portas abertas", admitiu Chivukuvuku, classificando esse hipotético entendimento como uma "gerigonça angolana".

 

A possibilidade de entendimento pós-eleitoral com o partido no poder em Angola também não é totalmente colocada de parte por Abel Chivukuvuku, cabeça-de-lista da CASA-CE e candidato à eleição, indireta, para Presidente da República de Angola.

 

"Com este MPLA não, tinha de ser um MPLA diferente", disse.

 

A CNE indicou que deverá anunciar nas próximas horas os resultados preliminares da votação de quarta-feira, as quartas eleições no país e segundas gerais.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: