Image Luanda – A República Democrática do Congo vai apoiar a recandidatura de Luís Gomes Sambo ao cargo de director regional da organização mundial da saúde para África (OMS/AFRO), garantiu quinta-feira, em Kinshasa, o ministro congolês do Ensino superior e universitário, Mashako Mamba.

O governante congolês revelou o facto no acto da atribuição ao médico angolano o título de “doutor honoris causa”, pela comunidade científica da Universidade Pública de Kinshasa (UNIKIN).

De acordo com Mashako Mamba, a RDCongo voltará a apoiar a candidatura de Gomes Sambo pelas suas capacidades de liderança e organização do trabalho que tem apresentado desde que foi eleito ao cargo em 2005.

Por seu lado, os professores, dirigidos pelo Decano da Faculdade de Medicina da UNIKIN, Samuel Mampunza Namiezi, justificaram a atribuição do título a Gomes Sambo pelo apoio que tem dado as autoridades sanitárias congolesas no domínio da saúde pública e o seu empenho na erradicação de várias doenças em África.
 

Segundo Samuel Mampunza Namiezi, na RD Congo, Gomes Sambo empenhou-se  no combate a malária, a mortalidade materna e infantil, tendo contribuído igualmente na ascensão de vários médicos congoleses no seio da OMS.


 A UNIKIN foi instalada em Kinshasa em 1954, e passou a Faculdade de Medicina em 1956, quando se chamava ainda “Universidade de Lovanium”. Tem uma boa reputação em África por formar médicos de várias especialidades que trabalham em várias partes do mundo.

Luís Gomes Sambo, nascido em 1952, em Angola, é formado em Medicina desde 1977, tendo tido outras formações internacionais no domínio da saúde pública.
 

Foi representante da OMS na Guiné-Bissau, vice-ministro da Saúde e, desde 2005, é o director da OMS/AFRO, cuja sede é Brazzaville, capital do Congo.  
 

Fonte: Angop



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: