Luanda - Em pé-de-guerra, o Posto de Comando Superior do Ministério do Interior, órgão tutelar da Polícia Nacional de Angola, através do Comandante-Geral da Polícia Nacional, o comissário-geral Ambrósio de Lemos Freire dos Santos, apelou ao reforço da actividade de recolha de informações com vista identificar possíveis situações de desordem pública.

*Pedrowski Teca
Fonte: Folha8

Em comunicado, Ambrósio de Lemos orientou as medidas no quadro do asseguramento do período pós eleitoral e avizinhando-se a data prevista para a divulgação dos resultados definitivos do pleito eleitoral de 23 de Agosto de 2017 e tendo em conta os pronunciamentos dos partidos da oposição em relação ao processo.


“Reforçar o policiamento nos locais de maior concentração populacional em praças públicas, sobretudo naquelas onde habitualmente se realizam manifestações; Manter sob segurança reforçada todas as instalações da CNE (Comissão Nacional Eleitoral), impedindo que nas proximidades destes locais se realizem manifestações ou outras acções que condicionem o seu normal funcionamento”, lê-se no comunicado.


Sob orientação do Ministério do Interior, o processo de policiamento e asseguramento é extensivo às sedes das forças políticas concorrentes e seus líderes.


“Informar no menor espaço de tempo possível o PCS através do PCC de todas as tentativas de manifestações ou outros actos relevantes que possam interferir o normal funcionamento dos órgãos do Estado,” ordenou o comissário-geral Ambrósio de Lemos Freire dos Santos, que assinou como “coordenador executivo”.


Numa ronda efectuada em várias artérias de Luanda, o Folha 8 conseguiu constatar o reforço do dispositivo policial e militar, consistindo também por agentes do Serviços de Bombeiros.


A CNE prevê a divulgação dos resultados definitivos das eleições gerais de 23 de Agosto último até às 15 horas de hoje, 6.9.2017.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: