Luanda - Na semana finda, o antigo governador de Luanda, Simão Paulo, esteve detido pelo menos dois dias nos calabouços da Direcção Nacional de Investigação Criminal (DNIC) por alegada agressão a um cidadão espanhol, segundo disseram ao Semanário Angolense fontes geralmente bem informadas.

Fazendo fé na fonte, Simão Paulo, que respondeu a um inquérito na DNIC, terá esmurrado a sua vítima circunstancial por pretensamente estar a passar-lhe a perna numa empresa de electricidade, a Luapa, de que ambos são sócios. Esta companhia foi fundada ainda nos idos de 90, quando o agressor foi director-geral da Empresa de Distribuição de Electricidade de Luanda (EDEL).

A vítima foi identifi cada pela nossa fonte apenas como sendo um antigo cônsul do Reino de Espanha em Angola. Depois de ouvido na DNIC, Simão Paulo foi posto em liberdade, enquanto o processo corre o seu trâmite normal. Se o caso chegar a tribunal e o ex-governador for declarado culpado pode ser alvo de uma pena correccional que vai de três dias a dois anos.

Esta é a segunda vez que se tem conhecimento público de que o antigo governante usou os punhos para dirimir diferenças. A primeira vez foi em 2002, quando envolveu-se em pancadaria com a esposa.

Fonte: Semanário Angolense



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: