Luanda - “Continuo a sonhar que um dia um PR de Angola me outorgara um certificado de mérito, uma comenda pelos serviços à pátria, pela minha contribuição para a comunicação social angolana e pelo papel fundamental na criação e lançamento da mais internacional empresa pública angolana”, desabafou no Whatapp Tchizé dos Santos,  a proprietária da Semba Comunicações agencia que até pouco tempo  geria o canal 2 da TPA e a TPA internacional,  logo após ao anúncio da oficial da sua exoneração compulsiva/imediata.

 

Fonte: Club-k.net
 


“Achincalhados publicamente pelo Presidente”


A filha do ex-presidente Eduardo dos Santos  recorreu “apressadamente” nas redes sociais para comparar os seus feitos em Angola com algumas estrelas mundiais da seguinte maneira: "Paul Mc Cartney dos Beatles tornou-se SIR pelos seus feitos na música. A artista plástica de origem Portuguesa, Paula Rego recebeu título de nobreza pela contribuição à arte moderna no Reino Unido."


Com esta retórica histórica das celebridades,  a ex-patrona da gestão da  TPA 2 e TPA Internacional disse taxativamente sem hesitar: "Mas continuo a sonhar que um dia um PR de Angola me outorgara um certificado de mérito, uma comenda pelos serviços à pátria, pela minha contribuição para a comunicação social angolana e pelo papel fundamental na criação e lançamento da mais internacional empresa pública angolana."


Tchizé não perdeu a oportunidade para enaltecer o pai agradecendo "profundamente ao Presidente José Eduardo dos Santos pela paz, pela estabilizador social e política, pela instituição da livre iniciativa e direito à propriedade privada, da qual hoje usufruem grande parte dos cidadãos, dirigentes e ex-dirigentes, empresários e outros membros desta elite e que não existia, quando a propriedade privada e livre iniciativa empresarial era crime próprio de “burgueses”, que eram os alvos a abater pelo próprio MPLA”.


Tchize não esqueceu de agradecer aquelas figuras do aparelho de Estado que a colocaram na direcção dos dois canais. “Agradeço ao Dr. Fernando Cunha, então diretor geral da TPA,   Manuel Rabelais, Falecida Cda Alice Dombolo, Cda Beatriz Alonso, Cda Luzia inglês “Inga”, Cda Carolina Cerqueira, Cda Isabel Malunga, Cda Eulália Da Rocha que as considera de “Minhas eternas CHEFES”

 

Confira o desabafo de Tchize na íntegra:

[11/15, 15:59] Tchizé dos Santos: Eu, cidadã Welwitschea José dos Santos agradeço profundamente ao MPLA pela independência que hoje vivemos

[11/15, 15:59] Tchizé  dos Santos: Agradeço profundamente ao Presidente António Agostinho Neto pela nossa libertação

Agradeço profundamente ao Presidente José Eduardo dos Santos pela paz, pela estabilizador social e política, pela instituição da livre iniciativa e direito à propriedade privada, da qual hoje usufruem grande parte dos cidadãos, dirigentes e ex-dirigentes, empresários e outros membros desta elite e que não existia, quando a propriedade privada e livre iniciativa empresarial era crime próprio de “burgueses”, que eram os alvos a abater pelo próprio MPLA

[11/15, 15:59] Tchizé  dos Santos: *estabilidade política e social

[11/15, 16:00] Tchizé  dos Santos: E agradeço ao Dr. Fernando Cunha, então diretor geral da TPA por um dia ter acreditado numa jovem formada numa universidade americana, graças ao Estado angolano, em produção de imprensa com especialização em televisão, para que pudesse, iniciar a grande revolução na televisão angolana e a sua tão ansiada Internacionalização que, aos então 33 anos de existência nenhum técnico nacional havia conseguido materializar, sendo que a TPA já tinha mais de 2.000 trabalhadores, trajetória da qual muito me orgulho e cujo mérito despacho algum jamais me irá retirar.

[11/15, 16:04] Tchize dos Santos: A TPA tinha mais de 2000 funcionários, 33 anos de existência, tinham havido variados ministros, vários Directores

[11/15, 16:05] Tchize dos Santos: Mas foi Fernando Cunha, Director Geral da TPA em 2008 e Manuel Rabelais, Ministro da Tutela que conseguiram.
Não acreditavam em mim e quiçá por isso me aceitaram dar o mandato e o prazo de 6 meses para realizar a tarefa

[11/15, 16:05] Tchize dos Santos: Mais não digo

[11/15, 16:05] Tchize dos Santos: Deixarei que um dia sejam os profissionais da área que comigo trabalharam a falar de mim

[11/15, 16:05] Tchize dos Santos: Boa tarde camaradas

[11/15, 16:13] Tchize dos Santos: Serei SEMPRE grata às pessoas a quem devo os cargos que ocupo:Falecida Cda Alice Dombolo, Cda Beatriz Alonso, Cda Luzia inglês “Inga”, Cda Carolina Cerqueira, Cda Isabel Malunga, Cda Eulália Da Rocha

[11/15, 16:13] Tchize dos Santos: Minhas eternas CHEFES

[11/15, 16:15] Tchize dos Santos: Gratidão

[11/15, 16:17] Tchize dos Santos: SEMPRE

[11/15, 16:17] Tchize dos Santos: Mas continuo a sonhar que um dia um PR de Angola me outorgara um certificado de mérito, uma comenda pelos serviços à pátria, pela minha contribuição para a comunicação social angolana e pelo papel fundamental na criação e lançamento da mais internacional empresa pública angolana.

[11/15, 16:18] Tchize dos Santos: Sonhar é de graça e tenho a noção que mereco

[11/15, 16:18] Tchize dos Santos: Ainda muitos PR virão e eu ainda sou bastante jovem. Posso esperar.

[11/15, 16:18] Tchize dos Santos: Sei que estou a apanhar por tabela em fogo cruzado não sei vindo de onde...nem contra quem...



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: