Como humano e lutador por causas justas, julgo que os ditadores também um dia deviam serem julgados, para que reconhecessem seus erros e serem condenados como tal. Em Angola vivemos, uma situação que se parece mais com ditadura apesar da aparência musculada de democrática. A falta de direitos, liberdade e garantias em Angola, volvidos  mais de trinta anos de independência, trata-se de uma opção de Eduardo dos Santos, manter o controlo do aparelho de estado através do seu regime militar, que garante a oportunidade de serem sempre os mesmos a mandar no sistema de comando do país mantendo e consolidando as velhas contradições de desigualdades internas.

Para a maioria dos angolanos, Eduardo dos Santos é sem dúvidas a figura viva consagrada da ditadura em Angola. Agora não nos venham cá dizer, que temos democracia, só porque alguns deputados da UNITA e de outros partidos, marcarem figura de corpo presente no (parlamento) apenas para o inglês ver, como se costuma dizer na gíria (popular). As ditaduras do modo geral, são habilidosas.

O regime Dos Santos, continua igual a si mesmo; privilegiando os rendimentos da classe política, do futungo, cidade alta e da clik militar que suporta o regime até um dia. O povo angolano está cansado  e farto de pedir socorro o que parece muitos ignorarem e nada quererem fazer para tudo mude. Infelizmente, os países que negociam com Angola vão se marimbando e calam-se para poderem continuar usufruir da continuidade dos negócios que goram lucros avultados.

Muitos países inclusive já desistiram de denunciar da falta de democracia pluralista, violação dos direitos humanos e da forma como a riqueza é gerida e utilizada internamente gorando desigualdades gritantes que todos nós conhecemos. Nós merecíamos outros políticos, a governarem o país e não esses que BOB GELD qualificou de criminosos e de que o mundo inteiro sabe e não tem duvidas, mais para nosso grande azar também só fica calado.

Enquanto ditadores como Eduardo dos Santos vai se utilizando de leis mais elaboradas impostas, muitas vezes admitindo uma certa (democracia) com partidos políticos, inclusive com (eleições) para o inglês ver e algumas vezes até permitindo uma certa oposição, naturalmente desde que controlada. As ditaduras têm sempre várias estratégias, artimanhas e truques para manutenção do poder.

Outro expediente, é a propaganda institucional, propaganda política constante e de saturação de forma a aculturar a personalidade do líder, ou lideres ou mesmo do país, para manter o apoio da opinião pública. Abaixo a ditadura, viva Angola e viva os angolanos sem qualquer distinção.

* Fernando  Vumby
Fonte: Club-k



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: