Lisboa – A procuradoria da República deteve esta semana, em Luanda, o suposto empresário Jorge Gaudens Pontes Sebastião, conhecido como “testa de ferro” de José Filomeno dos Santos, agora arrolado numa queixa-crime pela burla de 500 milhões de dólares americanos ao Estado angolano. A burla aconteceu nas últimas semanas do mandato de José Eduardo dos Santos.

Fonte: Club-k.net

Roubo de  USD 500 milhões ao Estado angolano

Pontes que estava a ser investigado, foi mantido em prisão preventiva na sequencia do teor de uma conversa telefónica com a sua esposa Geralda Embalo, em que lamentava que estava com problemas com a justiça angolana.

As autoridades, segundo soube o Club-K, interpretaram as suas palavras como a de alguém que estaria a preparar-se para fugir do país, tendo tomado a decisão de confiscarem o seu passaporte e de seguida ordenarem ao Serviço de Migração e Estrangeiro (SME) para que não imitissem nenhum documento de viagem em nome do mesmo. Há cerca de três dias, as autoridades decidiram prende-lo.


Este processo tem haver com a burla de 500 milhões de dólares que o grupo de José Filomeno dos Santos defraudou ao Estado angolano nas últimas semanas do mandato do seu pai José Eduardo dos Santos. O seu grupo convenceu JES de que uma empresa britânica iria emprestar a Angola 30 bilhões de dólares mas para isso acontecer, o Estado angolano deveria dar um deposito de 500 milhões de dólares que foram transferidos do BNA para conta de uma empresa-fantasma, a "Mais Financial Services" no Crédit Suisse de Londres. A "Mais Financial Services" é uma empresa detida por Jorge Pontes.


O departamento de Operações Bancárias do BNA efectuou a transferência dos 500 milhões de dólares para a conta da “Mais Financial Services”, no Crédit Suisse de Londres. Essa empresa tentou, a posteriori, a transferência dessa verba para a conta privada do cidadão suíço-angolano Jean-Claude Bastos de Morais. As autoridades financeiras londrinas suspeitaram, e bloquearam a operação.

Como consequência, as autoridades britânicas realizaram detenções de supostos sócios de Zenú em Londres e comunicaram Luanda, sobre o sucedido resultando em investigações que iniciaram já, no consulado de João Lourenço como Chefe de Estado.

No passado dia 11 de Janeiro, o Presidente João Lourenço manteve um encontro com o líder do MPLA, José Eduardo dos Santos tendo transmitido sobre o processo em curso e adiantou que o ministério publico iria proceder com a detenção do ex-governador do BNA, Walter Filipe da Silva, responsável pela autorização da transferência dos 500 milhões de dólares.

JES, por sua vez, fez saber, de forma irônica,  ao Presidente da República, que se prendessem o ex-governador do BNA, deveriam também aplicar a mesma medida ao seu filho, Zenú dos Santos. A resposta terá deixado João Lourenço intacto dando sinais de recuo na decisão de deter Walter Filipe.


Porém, perturbado pela noticia da detenção do amigo, o ex-PCA do Fundo Soberano, José Filomeno decidiu ausentar-se do país rumo a São Tome para gozo de umas supostas férias.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: