Lisboa – Poucos dias antes de deixar o poder, o então Presidente José Eduardo dos Santos colocou, uma empresa ligada aos interesses económicos do seu partido, para integrar o consorcio INFRASAT - Telecomunicações, responsável pela gestão comercial do AngoSat 1, o satélite angolano contruído pelos russos e que se encontra em parte incerta.

Fonte: Club-k.net

Trata-se da empresa privada GAFP - Investimentos e Participações, constituída em Janeiro de 2017 e que no consorcio é representada por Francisco Cristóvão “Chiquinho”, um economista da confiança de JES e gestor de varias empresas ligadas a holding financeira do MPLA, GEFI.

 

Aprovado em Julho do ano passado, o consorcio INFRASAT – Telecomunicações é ainda constituído pela Angola Telecom (40%), a LELLO (20%), e a MACGRA (5%). O despacho da sua aprovação apresenta-lhe como uma Sociedade Comercial Prestadora de Serviços de Telecomunicações por Satélite.

 

O Club-K, não conseguiu apurar as motivações que levaram o ex-Presidente a favorecer uma empresa que a data, contava com oito meses de existência a integrar um consorcio para gestão de um projecto que custou USD 320 milhões aos cofres do Estado.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: