Luanda - O base Selton Miguel, 17 anos, a jogar nos Estados Unidos da América, pode ser uma das novidades na lista de 15 jogadores a serem convocados pelo seleccionador nacional, William Bryant Voigt, para integrar os trabalhos de preparação da selecção, tendo em vista a disputa da segunda janela do Torneio Africano de Qualificação, a decorrer de 30 de Junho a 2 de Julho, na cidade do Cairo, Egipto.

Fonte: JA

Com apenas 16 anos, Selton jogou na selecção Sub-19 que disputou o ano passado o Campeonato do Mundo, no Egipto.


Da relação a ser tornada pública dia 9 de Junho, podem constar ainda o base Eric Amândio, e os postes Rifen Miguel e Valdir Manuel.


Em declarações à imprensa, aquando da apresentação de José Carlos Guimarães e Walter Costa, Voigt assumiu: “tenho estado a acompanhar a evolução do Selton. É um atleta com muito potencial. Pode ser chamado para o observarmos melhor, e tal como ele podemos chamar também o Valdir, e o Rifen”.


Sem avançar à composição da lista, o técnico deixou escapar que dificilmente contará com os préstimos do extremo-poste de 2,08 metros, Bruno Fernandes, por este estar engajado no “draft” para ingressar na Liga Profissional norte-americana de basquetebol, NBA.


“Provavelmente não contaremos com ele, por estar engajado no alcance do seu objectivo. Mas caso opte por abdicar e regresse ao seu clube, podemos convocá-lo. É um jogador que pelas características nos será muito útil”, fez saber.


Devido ao falecimento do seu pai, o William Voigt falha, não irá assistir in-loco a disputa dos playoffs da final, a melhor de sete partidas, entre 1º de Agosto e Petro de Luanda.

Estágio pode ser na Turquia

De 10 a 25 de Junho, a selecção pode realizar um estágio de controlo na Turquia, onde pode realizar alguns jogos amistosos com selecções ou equipas de topo da Europa.


As três vitórias em Luan-da, para a corrida a Copa do Mundo, China´2019, frente a Marrocos, por 62-56, Egipto (68-64) e (73-64), diante do Congo Democrático, encurtaram o trilho e isolaram Angola com seis pontos no comando do Grupo C.


Duzentos e três pontos marcados e 184 sofridos, uma média de 67,6 convertidos e 61,3 consentidos, foi o saldo da Selecção na primeira-mão. Nos números, a Selecção foi a que menos pontos sofreu, 184. Seguido do Egipto, com 192, 64 de média por partida. Neste particular o Congo com 226, 75,3 por desafio foi o mais vulnerável, Marrocos foi segundo com 210, 70 no geral. A selecção mais produtiva foi a marroquina, com 207 pontos, um percentual de 69 por encontro.


Egipto, segundo classificado com cinco pontos, Marrocos, terceiro com quatro, e Congo último com três, estão também em busca do apuramento. Nesta fase, qualificam-se os três primeiros classificados de cada um dos quatro grupos composto, por igual número de selecções cada um.


Do lote de equipas da série da Selecção saem três para integrar o Grupo E, o mesmo sucede com as que compõe o A, composto por Tunísia, líder com seis pontos, Camarões, cinco, Chade, quatro e Guiné, última com três. Os quartos classificados ficam de fora da disputa. Nos grupos E e F, qualificam-se para o mundial os dois primeiros classificados mais o terceiro das duas séries.


Os Grupos B, constituído pela Nigéria, Mali, Ruanda e Uganda, o D, pelo Senegal, Moçambique, Costa do Marfim e República Centro Africana (RCA) vão constituir o grupo F.
A disputa da fase derradeira está reservada para os períodos de 13 a 17 de Setembro de 2018, de 29 de Novembro a 3 de Dezembro, e de 21 a 25 de Fevereiro de 2019.

Angola já marcou presença nos mundiais de 1986, em Espanha. Argentina (1990), Canadá (1994), Estados Unidos (2002), Japão (2006), Turquia (2010) e Espanha (2014). Desde que começou a disputar mundiais, a Selecção falhou apenas o de 1998, na Grécia, depois de ter perdido o Afrobasket´1997, onde foi terceiro classificado.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: