Image

Luanda -  As ideias políticas de Jonas Savimbi foram a mola impulsionadora das mudanças que ocorreram e ocorrerão nas diversas etapas da história de Angola. E quando Angola for verdadeiramente Angolana, as suas ideias farão parte da Galeria das Ideias Politicas dos Politólogos Angolanos, Africanos e não só. Senão vejamos, só para dar um exemplo da profundeza do seu ideário:


Jonas Malheiro Savimbi na génese da UNITA estabeleceu os seguintes princípios:


Liberdade e Independência Total para os Homens e para a Pátria Mãe. Ele preconizava a liberdade da Pátria e dos seus cidadãos como uma propriedade política activa que devia designar o espaço geográfico e a vida prática dos Angolanos. – Ainda é hoje valido.

Democracia assegurada pelo voto do Povo através de vários Partidos Políticos. Para Jonas Savimbi a Democracia devia se constituir num valor que integra o quadro jurídico-politico e a acção prática das instituições políticas públicas, da acção governativa e da cultura cívica do cidadão Angolano de formas a participar com a sua consciência nas decisões políticas, económicas e sociais do País. – Ainda é hoje valido.

Soberania expressa e impregnada na vontade do Povo de ter amigos e aliados primando sempre pelos interesses dos Angolanos. Jonas Savimbi era por uma política de soberania baseada na dinâmica dos factores internos como o nosso Povo, a nossa Terra e o nosso próprio esforço de realização, elementos básicos que permitem estabelecer e reforçar as relações de amizade e cooperação com os outros povos e nações, sem subalternizar os Angolanos aos interesses dos outros países. O Angolano como ponto de partida e de chegada de todo o exercício político-partidário e da acção administrativa. – Ainda é valido.

Igualdade de todos os Angolanos na Pátria do seu nascimento. Jonas Savimbi defendia uma sociedade com um quadro jurídico que tenha capacidade e grandeza moral de proteger e dignificar na prática a natureza multiétnica, multiracial , multicultural, multi-classista, multilinguistica da sociedade angolana, para que o Angolano pobre ou rico, letrado ou não, rural ou litorino, suburbano ou citadino, branco, mestiço ou negro,  Chokue ou Bakongo, Kimbundu ou Vassekele, Umbundu ou Kuanhama, etc., etc.,  sejam um só, iguais perante a Lei e perante a prática governativa, iguais em oportunidades para se suplantar a herança colonial negativa de Angolanos de 1ª de 2ª ou de 3ª classes. – Continua ou não válido este princípio?

Na busca de soluções económicas, priorizar o campo para beneficiar a cidade. Jonas Savimbi defendia um quadro politico-socio-económico estrutural suficientemente sólido e racional para garantir equilíbrios de oportunidades económicas que valorizem e dignifiquem os cidadãos do meio urbano, rural ou suburbano, numa integração económica entre o litoral e o interior, entre sedes provinciais e municipais, entre comunas e aldeias; um sistema económico em que o Angolano, produtor ou consumidor, é o elemento chave para o progresso e o desenvolvimento, que pode influenciar o ordenamento e distribuição demográfica, e o bem-estar sócio-moral e ético do Angolano - Não é o que está hoje em falta?

Este era o sonho de Jonas Malheiro Savimbi que procurava dar honra e dignidade a Pátria, valorizar o Homem Angolano como riqueza principal e força principal e activa do desenvolvimento sócio-económico do País e a aproximação política e criadora dos tempos.

Afinal Jonas Malheiro Savimbi foi e será sempre para os excluídos, a sua fonte de inspiração na luta pela justiça social e pela conquista de uma vida digna para todos os cidadãos desta Pátria. O Homem que dedicou toda a sua vida em defesa dos Angolanos. Por amor a Pátria, defesa intransigente da Terra e do Homem nú, o autóctone e seu património cultural, o Dr. Jonas Malheiro Savimbi transformou-se no expoente máximo do Patriotismo Angolano, tombando heroicamente, aos 22 de Fevereiro de 2002, negando à exílios, clemências, amnistias, integração, elementos que só perpetuam a injustiça social, a exclusão, a intolerância contra as camadas mais desfavorecidas deste País mártir. O Projecto de Jonas Savimbi continua vivo, válido e actualizado no tempo e nas circunstâncias.

Quando se comemora o 3 de Agosto, data do nascimento do Dr. Jonas Malheiro Savimbi, é hora de todos os Angolanos genuínos e excluídos se unirem para que brevemente o seu sonho se torne realidade. Unamo-nos para que a Pátria não nos desmereça porque o seu Povo precisa e merece uma vitória para o bem comum.

“Nós na UNITA sabemos manter a fé quando ela falha noutros corações e noutras almas. Nós sabemos estar de pé quando os outros se prostram”.   Dr Savimbi


BEM HAJA O 3 DE AGOSTO

VIVA PARA SEMPRE A MEMÓRIA DO DR JONAS SAVIMBI

VIVA A UNITA

Luanda, 3 de Agosto de 2009
Fonte: UNITA



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: