Luanda - As exonerações sucedem-se à recente reformulação do Secretariado do Bureau Político do MPLA, em que a nova direcção mudou todos os dez nomes que até então integravam aquele órgão do partido.

Fonte: Lusa

O Presidente angolano, João Lourenço, exonerou esta quarta-feira os governadores das províncias do Bié, Lunda Sul, Cunene, Huambo, Huíla e Zaire, alguns dos quais líderes históricos ao longo dos 39 anos de liderança de José Eduardo dos Santos.

A informação consta de uma nota da Casa Civil do Presidente da República, referindo que as exonerações, por decreto, ocorrem por "conveniência de serviço".


Noutro decreto, João Lourenço, Presidente desde Setembro de 2017 e que, no passado sábado foi eleito líder do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA, no poder) no VI Congresso Extraordinário do partido, nomeou os novos governadores.

 

Álvaro Boavida Neto, eleito no sábado como secretário-geral do MPLA, deixa o governo provincial do Bié, sendo substituído por Pereira Alfredo, enquanto o antigo ministro da Defesa Kundi Paihama, um dos históricos generais angolanos, deixa o executivo provincial do Cunene, passando a liderança para as mãos de Virgílio da Ressurreição Adriano Tyova.

 

Ernesto Fernando Kiteculo foi exonerado do cargo de governador da Lunda Sul, para o que foi nomeado Daniel Félix Neto, enquanto João Baptista Kussumua, outro histórico do partido e antigo ministro, sai do Huambo, sendo substituído por Joana Lina Ramos Baptista Cândido.

 

O governo provincial da Huíla deixa de ser liderado por João Marcelino Tyipinge, no cargo desde 2012, e passa para Luís Manuel da Fonseca Nunes, enquanto no do Zaire é afastado José Joanes André, também no cargo desde 2012 (entre outras funções governamentais), que fica nas mãos de Pedro Makita Armando Júlia.

As exonerações dos seis governadores sucedem-se à recente reformulação do Secretariado do Bureau Político do MPLA, em que a nova direcção mudou, na segunda-feira, todos os dez nomes que até então integravam aquele órgão do partido.

José Eduardo dos Santos deixou no sábado a liderança do MPLA, após 39 anos, depois de já não ter concorrido às eleições gerais de Agosto de 2017, que puseram João Lourenço no poder em Angola.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: