Luanda - Os preliminares da festa foram devidamente calculados para que o dia fosse memorável para os convivas. Os anfitriões não pretendiam desiludir ninguém, selecionaram os melhores convidados da cidade.

Fonte: Club-k.net

No dia marcado nenhum dos convidados faltou, pois estavam tão ansiosos e contentes que não queriam estar de fora do melhor ambiente do mundo. Portanto a festa corria bem sem impasse nem transe, havia de tudo para todos.


Contudo, entre os organizadores o clima azedou, o conflito nasceu do nada. Pois, nascera a desconfiança reciproca, golpes baixos e de roubalheira aos olhos de todos.


Então, uniram uma corrente contra um deles, “ a união faz e traz a força” culpabilizando-o de todo fracasso.


Nem dos convivas duvidou da narrativa criada não obstante conhecerem o discurso da imputação. O acusado não tugiu nem mugiu, engoliu todo sapo, toda rã com sobremesas à maneira africana.


Todavia, como tudo tem fim bom ou ruim, o desgraçado resolveu falar inoportunamente “toda verdade e só a verdade” no tribunal improvisado, deixando o juiz embaraçado.


Este desabafo foi um balde de água gelada aos seus companheiros de outrora que não dormiram.


No dia seguinte responderam letal e ferozmente usando a velha táctica do contra-ataque, da vitimização e da inocência pura. Portanto para tornar mais crível os seus argumentos convocaram pessoas idóneas e instituições que estão a ressurgir dos mortos. Haja coragem!


O verniz entornou o pacto quebrou e os efeitos são imprevisíveis. Porém, são todos santos e imaculados porquanto há perseguição sem tréguas, há inveja!


Domingos Chipilica Eduardo



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: