Lisboa - O afastamento de Luis Fernando de Director Geral do Jornal “O Pais” esta  ligado a uma carta que a administração daquele semanário recebeu do Procurador Geral da Republica (PGR), General João Maria em que este lamentou/queixou-se de uma matéria de capa, hostil a si, estampada daquele jornal (texto relacionado a uma empresa de imobiliária de que é acionista).

 

Fonte: Club-k.net

Demitido sem ser avisado

Após a recepção da carta, a administração, viu-se “desautorizada” ao não ver nas edições seguintes retificações sobre alegações contidas no texto na qual optavam que fosse também manchete ao contrario do espaço sem visibilidade a que foi dada.  (No texto o jornal insinua que o  PGR recebe da empresa imobiliária certos  valores  como ordenado que na versão do de fontes próximas ao assunto é uma quantia que  é recebida pelo Sócio do PGR, General “Patonio” dos Santos e não do PGR).

 

A Administração do Jornal ainda não comunicou oficialmente a Luis Fernando a cerca do seu afastamento. Terá tomado nota através do  genérico do semanário que ao invés de ter o seu nome como DG passou a ter o nome do Jornalista cabo verdiano, Filipe Correia de Sá. (Lei de impressa não permite que estrangeiros sejam DG de órgãos de comunicação). Luis Fernando conserva ainda o seu Gabinete e  continua a ter as mesmas tarefas de um responsável Maximo.

 

- Foi enviado, para Benguela para assistir o lançamento da “Radio Mais” no Lobito esta Quinta Feira
- O Fecho da edição que sai sexta feira foi  monitorizado por si, razão pela qual largou Benguela, as pressas para ir a Luanda fechar a próxima edição.

 

Por outro lado, no circulo conotado ao PGR,  foram feitas observações para suporte de analises suspeitando que a “malvadez” de Luiz Fernando poderia ser traduzida em um acto de vingança em retaliação a uma condenação feita por  João Maria ao tempo Presidente do Tribunal Supremo Militar contra Fernando Miala,  elemento da tribo do jornalista. (Versão não tomada com consistência visto que o texto não foi de autoria de Luis Fernandes).

 

São atribuídas ao PGR, João Maria interrogações a cerca da preferência do seu nome no texto do jornal em detrimento dos seus sócios que formam a empresa imobiliária. Figuras que com ele privam, descrevem-no como estando agitado/agastado não obstante ter enterrado um familiar muito próximo na passada Segunda feira (Esta de repouso/Ferias). O mesmo para alem das pressões denota receio que os artigos ultimamente  publicados na imprensa possam  precipitar o seu afastamento ou que possam afectar a sua imagem.

Factos cronológicos

- A Revista CARAS publicou uma foto do mesmo na data de aniversario da sua suposta empresa na qual apresentou-lhe como sócio gerente
- O Semanário Angolense com base em investigações apresentou provas de que o mesmo era sócio da empresa e nas suas analises provou que se estava diante de um exemplo de promiscuidade
- A Radio Eclésia promoveu um debate sobre o assunto em que os ouvintes criticaram
- O Jornal O PAIS, através de um dos seus jornalistas (nome propositadamente ocultado), escreveu sobre o tema trazendo novos elementos
- O Jornalista Rafael Marques escreveu uma carta ao Presidente da Republica alertando sobre o assunto e com dados de outros elementos próximo ao poder na mesma condição.
- A administração do O PAIS pediu que o Jornal escrevesse  algo para “limpar” a imagem do PGR cuja a não realização do pedido levou ao afastamento de Luis Fernando do posto de Director Geral



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: