Lisboa - O Tribunal Supremo de Angola decidiu, na semana passada, a prisão preventiva dos cidadãos José Filomeno dos Santos, Walter Filipe da Silva, Jorge Gaudens Fontes Sebastião e António Samalia Bule Manuel, todos eles arrolados no caso de roubo de 500 milhões de dólares transferidos para uma conta na Inglaterra.

 

Fonte: Club-k.net

O quarteto  que está sujeito a medidas cautelares e obrigado a apresentarem-se quinzenalmente no  Departamento Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP)  deverá ficar em prisão preventiva, a qualquer momento,  caso as autoridades não alterem o seu plano.


No final da semana passada, foram notificados para se apresentarem está segunda-feira (24), a câmara cível do Tribunal Supremo para assinatura quinzenal em relação aos termos da identidade e residência. A pretensão é que eles se apresentem voluntariamente para de seguida serem lhes ordenado a prisão preventiva. 

 

José Filomeno dos Santos é acusado pelos crimes de associação criminosa, falsificação, tráfico de influências, burla e branqueamento de capitais; Valter Filipe, por crimes de associação criminosa, peculato e branqueamento de capitais.

 

No general, o grupo está implicado na operação que resultou na transferência ilegal realizada pelo BNA, em 2017, sob pretexto de garantia de um suposto financiamento de 30 mil milhões de dólares, a favor do Estado angolano, o que não aconteceu.

 

A operação acabaria por revelar-se uma burla contra o Estado angolano. As autoridades londrinas suspeitaram da transferência e, por isso, bloquearam os fundos.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: