Lisboa - O Presidente da Republica, José Eduardo dos Santos,  esta em vias de nomear como novo director adjunto do Serviço de Inteligência Externa (SIE), o Brigadeiro Xavier Esteves “Xavita”,  para preencher  a vaga deixada por Gilberto Veríssimo. O mesmo foi recentemente sondado pela casa militar da presidência  que denota preferência por si, dado o domínio que tem pelo organismo.

Conhecido internamente como “o Estratega”

  

ImageÉ presentemente quadro de primeira linha do SIE com a categoria de director.  Responde por alguns países do ocidente cujo domínio tem. Foi por ele, que a Casa Militar passou a devolver ao SIE o papel em acompanhar as visitas do Chefe de Estado ao exterior. Passou algumas vezes a  ser  chamado para despachos no Gabinete presidêncial “interinando”, Oliveira Sango, o actual DG.

O Brigadeiro “Xavita”  é uma das figuras mais emblemática do SIE tendo escoltado  todas as suas fases de evolução. Faz parte do chamado “grupo de Cabinda”, uma distinção dada internamente aos elementos que tiveram percurso na contra inteligência militar (CIR) do Belize, em Cabinda com realce a Pedro Sebastião, Bornito de Sousa, Nando Malheiro e Helder Vieira Dias “Kopelipa”. Na altura, despertava as atenções, por ser o oficial militar que passava mais tempo no comando e ter sido  um dos elementos que não dormia nas casernas onde a grande maioria passava as noites. Regressados a Luanda, o “grupo de Cabinda” manteve se solidário e por impulso de Pedro Sebastião, “Xavita” ganhou  aderência no circulo presidencial da casa militar.

As portas das  primeiras eleições realizadas no país, o Brigadeiro “Xavita”  esteve como responsável da segurança de Estado na região sul do país com Gabinete na província do Kuando Kubangu. Saído daí e passou a ser uma das principais figuras do SIE na Europa onde estava inicialmente como  Chefe de Centro na embaixada de Angola na cidade de Bona, Alemanha. Em inicio da década de 2000 foi colocado em  Paris como adido militar para substituir Daniel Rosa acabando ambos de permanecerem no posto. Quando se deu o “caso Miala”, foi chamado a regressar ao país para fazer parte da actual direcção.

Campo das operações

O Brigadeiro Xavier Esteves "Xavita", é conhecido internamente como "o estratega", por ser ele que alvitra muitas das missões especiais (covert actions) do SIE – nunca postas em marcha sem o aval da DG e, por vezes, do próprio JES, conforme descreveu o boletim  Africa Monitor Inteligence.

Nas vésperas da morte de Jonas Savimbi um grupo do SIE (então ainda SSE), chefiado por X Esteves "Xavita", do qual faziam parte vários desertores da UNITA, entre os quais o Gen Jacinto Bândua, tentou, em vão, aliciar em Lomé uma irmã do antigo líder da UNITA, Judite Savimbi, bem como vários quadros em Lisboa e Bruxelas.

Entre os renegados da UNITA do grupo de X Esteves "Xavita" contavam-se indivíduos que entretanto ingressaram nos quadros do SIE e se encontram actualmente ao seu serviço, colocados no estrangeiro (Silas, em Lagos; Maria Ekulika, em Harare e outra, nome impreciso, em Malabo).

Fonte: Club-k.net



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: