Cuando Cubango – Há cinco meses de mandato como administrador de Menongue, capital da província do Cuando Cubango, Júlio Vidigal revelou ao portal Club K ter efetuado visitas de campo na ordem de 70 por cento às aldeias que compões as três comunas da urbe, Caiundo, Jamba Cueio e Missombo.

Fonte: Club-k.net
O dirigente constatou imensas dificuldades de sobrevivência no seio das comunidades, pelo que, em nome da administração, garantiu maior apoio nos próximos meses para minimizar a carências dos habitantes.

De acordo com o administrador, a comuna de Missombo com 34 aldeias que dista há 15 quilómetros de Menongue, beneficiou recentemente de bens alimentares de primeira necessidade para apoiar mais de cem famílias que habitam o corredor do rio Cuebe.

Aos camponeses, Vidigal prometeu igualmente apoio com imputes agrícolas e instrumentos de trabalhos como enxadas, catanas e outros utensílios para o desenvolvimento da agricultura rural de modo as famílias garantirem a sua autossustentabilidade, sem muitos constrangimentos.

À semelhança das aldeias de Missombo, o governante disse à nossa reportagem que as demais comunidades que agregam a sua jurisdição administrativa que já terão sido visitadas, ficou o apoio necessário à sua subsistência e a promessa de continuarem a receber apoio da administração de Menongue, sendo que, sal, sabão, óleo vegetal, roupas, escolas, postos de saúde, água potável, são dentre outras, as maiores necessidades dos aldeões.

Segundo apurou o Club-K junto da administradora adjunta da comuna de Missombo, Elisa Macai, o sistema de saúde local depara-se com um grande défice, na medida em que o único posto de saúde existente carece de medicamentos e ambulância para atender mais de seis mil habitantes da comuna.

Por outro lado, a mesma fonte apontou as diarreias, malária e conjuntivite como sendo as doenças mais frequentes na comunidade. Todavia, para o administrador, estas preocupações por si constatadas durante a jornada de campo devem merecer a devida análise e estudo para a sua assistência junto da administração nos próximos dias.

Produção de peixe

A população local e não só vai contar a partir do próximo ano com um “Centro de Larvicultura e Engorda de Missombo”, com capacidade para produzir Tilápia (Cacusso) em grande escola.

A infra-estrutura que pode ser concluída e entregue às autoridades locais no primeiro semestre de 2019, vai garantir emprego a mais de 60 trabalhadores e tem prevista a construção de pelo menos três casa para acomodação de operários que deverão trabalhar no centro.

Segundo garantiu ao portal Club K, o engenheiro Igor Kojan, responsável pela construção do projecto, da empresa israelita Mitrelli, a quem foi adjudicada a obra pelo Ministério das Pescas e do Mar, a primeira fase da obra começou há quatro meses, cujo prazo de entrega está previsto para o próximo ano, altura em que se começa a produção de peixe em grandes quantidades para beneficiar a comunidade e não só, no sentido de diversificar a economia nacional.

Por outro lado, Igor Kojan, em nome da empresa, assegurou ser um projecto que conta com financiamento europeu, onde para além da construção de um complexo de viveiros de piscicultura para a produção intensiva de peixe, Tilápia, está prevista também a produção de ração, armazéns frigoríficos para conservação dos mesmos, um centre de manutenção e outros serviços inerentes a larvicultura.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: