Luanda - Quatro casos de Gripe A (HN1) foram notificados no país, na semana de 17 a 23 de Agosto, em dois cidadãos de nacionalidade brasileira e duas angolanas.

ImageA informação foi divulgada terça-feira, pelo ministro da Saúde, José Van-Duném, numa conferência de imprensa a propósito.

Todos os casos foram notificados na capital do país, Luanda, sendo o primeiro  em um cidadão brasileiro, de 24 anos de idade, proveniente de BrasiAngola regista quatro casos de Gripe Alia e São Paulo, internado na clínica Girassol, em Luanda, com teste rápido para Influenza A negativo, mas com sintomas da doença.

O segundo caso foi detectado em uma cidadã nacional, de 28 anos de idade, com estadia em Joanesburg, com início de sintomas no dia 19 de Agosto, com teste rápido positivo.

O terceiro foi também em uma cidadã angolana, de 46 anos, da mesma família, com estadia em Espanha e Portugal, com sintomas clínicos desde o dia 18 de Agosto, com teste também positivo, enquanto o quarto caso foi dectetado em outro cidadão brasileiro, de 44 anos de idade, saído do Brasil, com sinais desde 10 de Agosto, também com teste positivo.

Estes cidadãos e os contactos, segundo o ministro, estão em quarentena nas suas próprias residências, com estado clínicio estável, e estão a ser seguidos pelas equipas de vigilância epidemiológica, tendo sido tomadas medidas de controlo, aconselhamento, tratamento e seguimento.

Acrescentou que se colheram amostras que foram enviadas para a África do Sul, onde está o laboratório de referência, para o diagnóstico definitivo.

Devido ao quadro actual, o ministro da Saúde apelou o reforço da vigilância epidemiológica nos portos, aeroportos e unidades sanitárias, maior divulgação das normas do uso do Tamiflu (medicamento para a gripe), seguimento dos doentes e dos contactos, com informação diária sobre a evolução dos mesmos, e informar os governos provinciais sobre a situação.

No entanto, o ministro apela aos orgãos de comunicação social, a divulgação das normas de prevenção e de higiene individual e colectiva, lavando as mãos com frequência e evitar zonas onde há pessoas com tosse.

"O importante é facilitar a informação para que as pessoas possam gerir a situação e não entrarem em pânico, procurando a tranquilidade e as unidades afins em caso de sintomas de gripe com dificuldades respiratórias", sublinhou.

O ministro apelou a calma à população, frisando que a diferença é a doença ter vindo de países de risco, porque Angola está em fase de transportá-la, pois o virús ainda não circula no país.

De acordo com José Van-Duném, a propagação do vírus no continente africano deve-se à fraqueza dos sistemas de saúde de alguns países, mas apesar disso a transmissão não é tão alarmante.


Até ao momento, foram notificados três mil 843 casos de Gripe A no continente africano.


Fonte: Angop



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: