Saurimo - Os titulares de cargos públicos devem ter o domínio e a técnica de comunicar em ocasiões diferentes, para facilitar a compreensão da sua mensagem, por forma a se evitar especulações, apelou hoje, quinta-feira, em Saurimo (Lunda Sul) o secretário de Estado da Comunicação Social, Celso Malavoloneke.

 

Fonte: Angop

O governante fez este apelo durante uma palestra sobre “Comunicação e a boa governação” dirigido aos jornalistas de distintos órgãos públicos e privados na Lunda Sul, membros do governo local, da Justiça, Forças Armadas Angolanas e Polícia Nacional, promovida pelo Ministério da Comunicação Social.

 

Aconselhou os governos provinciais a criarem gabinetes de crise, com técnicos competentes e treinados, capazes de informar com antecipação e esclarecerem determinadas situações ligadas a governação.

 

Lembrou ser necessário e indispensável que os governadores provinciais, administradores e outros titulares de cargos públicos, tenham nos seus gabinetes assessores de comunicação.

 

“O gestor público que neste novo paradigma de governação não sabe comunicar, deve considerar-se um mau gestor e submeter-se à uma formação, porque governar bem não é apenas implementar projectos, mas sim comunicar bem”, frisou.

 

Sublinhou que os servidores públicos devem igualmente saber lidar com os órgãos de comunicação social e não o inverso, por serem as principais fontes de informação credível.

 

Acrescentou que os governantes devem saber lidar com as críticas, transferir uma situação negativa para a positiva, agindo com humildade, prudência, maturidade, inteligência e transparência, diante de um problema socioeconómico ou político difundido pelos órgãos de Comunicação Social.

 

Aconselhou os gestores a acompanharem a dinâmica da evolução do sistema de comunicação que Angola tem estado a conhecer nos últimos dias e a estarem atentos às redes sociais.

 

Por outro lado, reiterou o apelo aos jornalistas no sentido de observarem sempre a ética, a deontologia e a buscarem o contraditório no exercício da profissão.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: