Lisboa -  Um juiz federal Timothy J. Kelly terá optado por dar razão à estação noticiosa CNN no processo que a opõe à Casa Branca, pelo menos, até nova decisão, de acordo com a Bloomberg. Donald Trump terá, portanto, que restituir o acesso ao jornalista Jim Acosta.

Fonte: Lusa

A CNN e Acosta tinham apresentado um pedido de providência cautelar, procurando reverter a decisão do governo, temporariamente, até os tribunais decidirem se Trump pode escolher quem faz a cobertura noticiosa da Casa Branca.

 

Timothy Kelly, que foi indicado para o lugar por Donald Trump, deu hoje razão aos queixosos, considerando que o acesso a Jim Acosta não pode ser negado e dizendo que o jornalista sofreu "danos irreparáveis, ignorando o argumento de que a CNN poderia indicar outros jornalistas para a cobertura.

 

O presidente norte-americano havia suspendido a acreditação de Jim Acosta depois de uma troca de palavras mais tensas com o presidente dos Estados Unidos durante uma conferência de imprensa. Acosta, correspondente da CNN para a Casa Branca, dirigiu algumas perguntas a Donald Trump, um dia após as eleições intercalares, que não foram bem recebidas.

 

O jornalista fez questões sobre a caravana de imigrantes de países da América Central que se dirige para os Estados Unidos, recordando que o presidente lhe chamou "invasão".

 

Incomodado com as questões, chegou a pedir ao jornalista que se sentasse e que se calasse. Mais tarde, Sarah Huckabee Sanders, porta-voz da Casa Branca, justificou o afastamento de Jim Acosta com um vídeo alegadamente editado.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: