Lisboa - O novo Presidente do MPLA, João Manuel Gonçalves Lourenço rejeitou um pedido com vista a apreciar a suspensão de José Filomeno dos Santos “Zenú” do Comité Central do partido por considerar que o mesmo goza da presunção da inocência. A rejeitação foi avançada na sequencia de uma posição    levantada pelo general na reforma Alberto Correia Neto, a margem da 6ª sessão ordinária deste órgão do partido no poder, realizada em Luanda, no dia 30 de Novembro de 2018.

Fonte: Club-k.net

Durante a sessão de interpelação entre membros, Alberto Neto, igualmente embaixador de Angola na Alemanha pediu a João Lourenço que informasse aos membros do Comité Central naquela sala sobre a situação carcerária de três membros deste órgão, que enfrentam problemas com a justiça, nomeadamente, o ex-ministro dos transportes, Augusto da Silva Tomás, o ex-PCA do Fundo Soberano, José Filomeno dos Santos e o ex-porta voz do Bureau Político, Norberto Garcia.

 

Apesar da frontalidade em colocar a referida questão ter sido bastante aplaudida, fontes do Club-K, disseram que o líder do partido, João Lourenço esclareceu a Alberto Neto que em Democracia, contrariamente ao que acontecia no partido único, não será possível chamarem-se os órgãos de justiça ao Comité Central para abordarem o assunto. Por outro lado, o Presidente do MPLA, defendeu que os três camaradas detidos preventivamente gozam da presunção de inocência e que deve se aguardar pela aplicação da justiça de forma calma.

 

Considerou que não era justo suspender-se os mesmos do Comité Central tal como ouviu em algum lugar e afirmou que caso sejam ilibados pela justiça voltarão a ocupar os seus lugares tal como é desejo de todos. A intervenção de Lourenço, segundo revelaram ao Club-K, foi bastante aplaudida pelos presentes num gesto de solidariedade aos seus camaradas a viverem tempos menos bons.

 

A referida reunião que se previa para dois dias, foi encurtada para apenas um único dia, que foi nesta sexta feita tendo sido marcada por interpelações aos membros do Comité Central que desempenham cargos no governo. O deputado João Pinto, o empresário Bento dos Santos “Kangamba” e o escritor Adriano Vasconcelos consagraram-se com apelações aos ministros, nesta reunião.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: