Lisboa - Atriz Rania Youssef acusada de obscenidade pelas autoridades egípcias por usar vestido demasiado curto no Festival de Cinema do Cairo. Pena pode chegar aos cinco anos de prisão.

Fonte: DN

Era um vestido revelador, o que a Rania Youssef, 44 anos, levou na sexta-feira ao Festival de Cinema do Cairo. Sobre um corpete negro, usou um tule transparente que deixava pouco espaço à imaginação. Permitia ver as pernas da atriz e isso enfureceu uma série de gente.

As autoridades decidiram agora abrir um processo por "incitamento à libertinagem". E a pena pode chegar aos 5 anos de prisão.

Foram dois advogados conhecidos por processarem estrelas no país, Amro Abdelsalam e Samir Sabri, que decidiram avançar com a acusação.

"Aquele vestido não obedecia aos valores, tradição e à moral social e isso minou a credibilidade do festival e das mulheres egípcias em particular", disse Sabri à AFP.

O próprio sindicato dos atores criticou a forma como "alguns convidados se apresentaram".

O ano passado, a cantora Shaimaa Ahmed foi condenada a dois anos de prisão - sentença depois reduzida a um ano - por gravar um vídeo em que comia uma banana de forma sugestiva.

Já em janeiro, a cantora Laila Amer foi detida por produzir um videoclip que as autoridades consideraram demasiado provocante.

Rania Youssef, entretanto, pediu desculpa pelo uso do vestido. Disse primeiro que deveria poder usar aquilo que entendesse, mas "se soubesse que ia provocar esta reação, nunca o teria feito."



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: