Luanda - Comandante Municipal, Superintendente Chefe “Estanislau Ruben”, que interina o Município do Kilamba Kiaxi, viola e não respeita os direitos humanos, bem como o seu discípulo Comandante “Flaviano” que gere o posto do Golf-1 Controle junto o hospital divina providencia, as condições que apresenta o posto não são das melhores, detidos que ainda gozam da presunção da inocência, eles já os os consideram como culpados e julgados pelos dois comandante, considerados como Juízes, todos aqueles encontram detidos.

Fonte: Club-k.net

Numa conversa amena horrorizada de se ouvir que mantivemos com um ex-detento na semana passada, detalha a morte do cidadão de 18 anos que em vida chamou-se “Eduíno Francisco Zongo” mais conhecido por “Edy”,segundo os familiares dizem que ele era inocente e foi confundido pelos próprios agentes policia, conforme relata a Madrinha do Eduíno dentro nas celas e gozava da presunção de inocência, morto por espancamento na cela da alá esquerda na passada quinta-feira do dia 22/11/2018, outro amigo da cela relata que Eduíno foi morto por tortura e amarrado pelos próprios agentes da policia nacional, o comandante para se resguardar do acontecimento culpa aos detidos que foram eles que mataram o companheiro por espancamento, facto que os mesmos recusam-se não ser verdade, e relatam que os dois comandante não tem coração e não merecem fazer parte da corporação, a situação dos detidos dentro daquelas barbaras celas sem condições para os mesmo são péssimas, e vai contra os direitos humanos, nós ficamos aglomerados num espaço de 7/5 metros quadrados cerca de 33 detidos, sem condições sanitária, quando querem fazer as suas necessidades utilizamos os sacos de comida e guardamos por 24 horas quanto as necessidade menor nas garrafas de água com os mesmo procedimentos, todas as manhã é retirado da cela dois elementos para deitar foram num dos cantos do posto policial dentro daquele espaço e os sacos remetemos no contentor no interior do posto policial e a seguir entram para cela.

 

A respiração é difícil as condições que a cela apresenta com uma janela pequena, nas duais celas as características são as mesmas, e no pátio exterior temos um galinheiro como chamam os próprios agente da polícia que por sua vez também usam como cela onde encontrasse material de carros roubados, botijas de gás, e pinéu de carros, e na sua parede podemos verificar o quadro exposto de energia. Dentre os detidos encontra-se lá o detido “Kiama Jóse”, acusado de encarcerar uma indevida por 24 horas sem o conhecimento familiar da mesma, o mesmo diz que não condiz com a verdade. Detido a 3 dias é ainda não foi ouvido.


O detido relata que inferno não é embaixo da terra; o inferno é as celas” e os diabos residem na terra usando as vestes da polícia nacional, o Superintendente Chefe “Estanislau Ruben” e o seu coadjuvado comandante “Flaviano” do posto do golf onde acontece tudo. Com essas palavras o ex-detento de 32 anos, definiu os 25 dias ai nas celas sem ser ouvido sequer, e relatam que tem la companheiro seus que já estão a 2 meses nas mesmas condições encarcerados no posto policial do golf, o chamado controle, de frente o hospital devina providencia.


Durante um encontro com o ex-detento o mesmo disse que "preferia morrer" ao invês de viver naquelas condições que o Superintendente Chefe Flaviano e Estanislau Ruben, submetem um ser a viver naquelas condições. “Do fundo do meu coração, se fosse para cumprir muitos anos em alguma cela naquelas condições, eu preferia morrer”, afirmou.


Detido por suspeta de roubo, o ex-detento enfrentou os piores momentos de sua vida dividindo uma cela, com capacidade para seis pessoas, com outros 33 detidos. “É horrível, você não tem privacidade, não tem lugar para todo mundo dormir. Ficamos todo mundo no chão, sem banheiro, utilizamos sacos e garrafas de água, tudo abafado cada um dormia um pouco”, relembra. Depois de se ter provado que tudo não condizia com verdade, a conduta que os agentes daquele posto policial apresenta não são melhores, o comportamento de um agente com o nome de “Adilson” graduado em serviço daquele posto, aquele é um diabo mirim.


A mesmo relatou que os agentes são corruptos, apesar do pais viver uma outra conjuntura contra o combate a corrupção, não tem medo das ordens do Presidente da República, os agentes recebem o dinheiro dos familiares e compra os estupefaciente” Liamba”; Cigarros, para nós em troca repartimos os valores com eles. Está situação é do conhecimento do Comandante Municipal, Superintendente Chefe “Estanislau Ruben” e do Comandante do posto policial “Flaviano”.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: