Lisboa - Os últimos contactos entre o governo e a UNITA voltaram a ser marcado pelo não acolhimento quanto ao desfecho a volta da recuperação (exumação, transladação e inumação) dos restos mortais de Jonas Malheiro Savimbi. O Governo impõe que o funeral de Savimbi seja já realizado nas próximas semanas. A UNITA mostra-se desconfiada com a “velocidade” das datas do governo e exige primeiro a realização de exames de ADN ao corpo que lhes esta ser entregue.

Fonte: Club-k.net

Governo propõe enterro para 20 de Dezembro; UNITA rejeita a data

Segundo apurou o Club-K, o Ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança da Presidência, general Pedro Sebastião, remeteu recentemente um oficio a UNITA a comunicar que o governo de Angola elaborou um programa para que Jonas Malheiros Savimbi, seja já enterrado no próximo dia 20 de Dezembro do corrente ano. A UNITA, por sua vez manifesta-se séptica respondendo que o enterro do seu líder fundador deve acontecer numa data devidamente acertada com a família e não imposta pelas  autoridades.

 

A família, faz gosto que o funeral de Savimbi seja realizado no mês de março, na data da fundação do partido e que o enterro seja na comuna de Lopitanga, no município do Andulo, que é a localidade que em vida, sempre desejou, que fosse ai sepultado junto a tumba dos seus pais.

 

A direção da UNITA, fez saber ao governo que, antes de qualquer diligência, desejam que que sejam realizadas colheitas de amostras dos supostos restos mortais de para serem submetidos a exames de ADN, em três laboratórios por si escolhidos no exterior do país, a fim de certificar de que as ossadas a serem inumadas correspondam a do seu líder fundador.

 

O governo angolano, por sua vez, não se opõe, mas abre um “entre parênteses”, impondo que os referidos exames de ADN sejam realizados em Angola por um grupo técnico da Faculdade de Medicina da Universidade Agostinho Neto, 48 horas antes da data do enterro, 20 de Dezembro. Sugere também a realização de outros testes a serem num laboratório francês, em que o ADN do suposto corpo de Savimbi, fosse comparado com colheitas de amostras de uma irmã de Savimbi, Judith Pena, e dois filhos do líder fundador dos maninhos.

 

Apesar de haver informação de que a Faculdade de Medicina da UAN esteve até pouco tempo sem reagentes para realização de exames de ADN, a direção da UNITA, mantém a sua posição de que os exames sejam mesmo realizados no estrangeiro (laboratórios escolhidos pela direção do partido) e não em Angola. Ao mesmo tempo encara com desconfianças a proposta do governo de querer realizar um enterro as pressas, em véspera de natal, em que as pessoas estão a se preparar para quadra festiva.

 

Jonas Savimbi, foi inicialmente enterrado no cemitério municipal do Luena, a 24 de Fevereiro, numa cerimonia distanciada dos procedimentos tradicionais pretendido pela família. Face a carga de chuva que teve lugar no dia depois ao seu enterro, na capital do Moxico, os seus restos mortais foram secretamente desenterrados e transportados para Luanda.


Tendo em conta ao estado de putrefação do cadáver resultado das balas incendiadas a que foi alvejado, os restos mortais do líder da UNITA foram submetidos a tratamento especial de conservação encontrando-se, agora, numa área de acesso restrito, no mausoléu Dr. António Agostinho Neto, em Luanda, ao lado das ossadas de Salupeto Pena e de Geremias Chitunda, ambos igualmente dirigentes deste partido assassinados por forças leais ao Presidente José Eduardo dos Santos, nos massacres de 1992.

 

Nos contactos realizados, apenas transmite a UNITA que tem em sua posse “três corpos” porém não aceita admitir que os restos mortais de Savimbi estão em Luanda, razão pela qual o maior partido da oposição com receio que lhes sejam entregues um corpo errado.


A imposição de datas de enterro, não acertadas com a família tem levantado no interior da UNITA suspeitas de que o governo queira retirar algum impacto tendo em conta que era desejo deste partido realizar um enterro condigno para o seu fundador em que convidariam entidades internacionais e amigos de Savimbi no exterior para presenciarem o evento. Por esta razão, encaram como má-fé, a data do 20 de Dezembro de 2018.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: