Lisboa - A polícia de Phoenix deteve um enfermeiro de 36 anos no caso da agressão sexual de uma mulher que está em estado vegetativo há mais de uma década e que deu à luz um bebé a 29 de dezembro.

Fonte: DN

A chefe da polícia, Jeri Williams, anunciou a detenção de Nathan Sutherland, acusado de um crime de abuso sexual e outro de abuso de adulto vulnerável.

 

Williams disse que Sutherland, um enfermeiro certificado, trabalhava na instituição Hacienda HealthCare, onde a mulher de 29 anos vivia.

 

Apesar de ter sido inicialmente descrita pela polícia e pelos media como estando em coma há 14 anos, a família diz que a mulher está incapacitada desde os três anos. Tem uma deficiência mental por causa de ataques no início da infância. Apesar de não falar, tem alguma mobilidade nas pernas, cabeça e pescoço e responde a sons e mexe o rosto.


Em finais de dezembro, entrou em trabalho de parto sem que ninguém soubesse que estava grávida. Os documentos do tribunal mostram que o seu último exame tinha sido em abril.

 

Sutherland, que era um dos responsáveis pelos cuidados da vítima e tinha acesso direto a ela na altura do crime, fez o teste de ADN na terça-feira. As autoridades concluíram que o filho é seu.

 

A instituição anunciou entretanto que os funcionários do sexo masculino têm que estar acompanhados por uma funcionária do sexo feminino antes de entrar no quarto de uma paciente.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: