Luanda - Aumentou para 28 o número de membros e pessoas ligadas ao Movimento Independentista de Cabinda (MIC) detidas nesta terça-feira, 29, horas antes de darem início a uma marcha para assinalar mais um aniversário do Tratado de Simulambuco, que colocou aquele território sob o protectorado de Portugal.

*José Manuel
Fonte: VOA

 Marcha pelo  aniversário do Tratado de Simulambuco

No fim da tarde, eles continuavam a ser ouvidos pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC).

 


O advogado do grupo, Francisco Luemba, confirmou as prisões e disse à VOA, na altura, que "desconhecia a acusação formal", mas acrescentou não ser difícil descortinar "que se deve à marcha que pretendiam realizar".

 


Luemba lamentou que desde "o início deste século, a polícia tenha optado por prender os jovens, o que não tem resolvido os problemas" e apelou ao diálogo por parte das autoridades.

 


O MIC tinha programado uma marcha para assinalar mais um aniversário do Tratado de Simulambuco para o dia 1 de Fevereiro, mas decidiu antecipar a marcha para hoje, em virtude de nesse dia estar prevista a realização da cerimónia de abertura do ano lectivo, com a presença do vice-presidente da República, Bornito de Sousa.

 


“A ideia era evitar coincidir com esse cerimónia oficial”, disse uma fonte do MIC à VOA.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: