Holanda - “Ponto final ... A coisa está séria. No início desta salada de presidenciais indirectas pensei que JES estava a brincar. Lembro-me que JES disse antes que era uma ideia do Quintino. Na realidade foi sempre a intencao do MPLA. Se eu fosse um politico com assento no parlamento, tiraria umas ferias. Faria greve. Abandonaria o parlamento por nao aguentar tanta estupidez do nosso pai que nao sabe viver com leis... “, comentários de Juca Fernandes, um visitante assíduo do club-k.net.


Fonte: Club-k

É preciso mostrar-se a Jes que o limite da paciência já foi atingido

Inspirando-me no comentário do internauta acima mencionado, veio-me a ideia de tentar comentar um pouco o que aconteceu nos últimos sete dias após a intervenção do teleguiado Bornito de Sousa quando se referia ao sistema eleitoral presidencial supostamente proposto pelos membros do MPLA.


Está mais do que claro que o senhor Bornito de Sousa, no passado dia 9 de setembro, falou, falou, usou novas e bonitas palavras, mas não disse nadinha de novo. Também está mais do que claro que o senhor José Batoteiro dos Santos, por causa do medo de cumprir regras democráticas, é o grande arquitecto do tal sistema eleitoral atípico que não existe em qualquer parte do mundo. Tal sistema só existe na sua cabeça.


Nos últimos dias houve bastantes reacções da classe política nacional, com particular destaque para alguns dos poucos políticos sérios da oposição, nomeadamente Bonavena (ex-FpD / BD), Luisete Araújo (independente), Cláudio Silva, Adalberto da Costa Júnior, Domingos Maluka e Abel Chivukuvuku (os quatro últimos da UNITA). A reacção da oposição foi extremamente agressiva e positiva, que o regime do ‘camarada’ Dos Santos ficou sem argumentos. A falta de argumentos foi e continua a ser tanta, que duas das várias bocas de aluguer do regime, João Melo e o suposto jurísta Carlos Feijó, viram-se obrigadas a fugir em debandada dos confrontos directos de palavras programados com Adalberto da Costa Júnior e Abel Chivukuvuku, respectivamente. 


Da FNLA, PRS e Nova Democracia pouco ou nada se ouviu. Não é nenhuma novidade que estes três partidos pouco ou nada disseram a respeito, pois a impressão que tenho é de que eles já atingiram as suas metas. Ou seja, estar no parlamento, ganhar salários gigantes e possuir regalias era tudo o que Kabango, Kuangana e Quintino andavam a caça. Não acredito muito que os três possuem ideologias sérias.


Na minha interpretação, o comentário supracitado de Juca Fernandes tenta transmitir a seguinte mensagem, simples e bastante importante, à oposição de Angola, sobretudo a Samakuva: “não deixem as coisas esfriar. Agora que o regime já mostrou a sua verdadeira face e as suas debilidades, por favor, ataquem, ataquem, ataquem até que Jes seja posto em xeque”.


Até agora podemos dizer que a UNITA, excepto Samakuva, o BD, na pessoa de Bonavena, e a candidata independente Luisete Araújo souberam fazer os seus papéis. Mas não devem ficar por aí. Isto é, tal como Juca Fernandes alerta, a partir de agora deve-se pressionar, pressionar e pressionar, porque a coisa anda muito séria e a batata quente encontra-se nas mãos do ‘pai grande’. Na minha opinião pessoal, pressão significa dizer que se deve obrigar o senhor Dos Santos a fazer três coisas:

1. Recomeçar imediatamente o processo de registo eleitoral ainda este ano;

2. Reconhecer que o seu mandato presidencial não existe (Jes é PR ilegal);

3. Marcar imediatamente a data eleitoral presidencial para 2010.


Para que a exigência dos três pontos acima mencionados possa efectivamente ter impacto, é preciso que Samakuva também dê a sua contribuição. Mas, para ser sincero, parece que este homem é a parte mais fraca da corda. Digo isso, porque desconfio que o líderda UNITA - que até agora ainda não deu a sua opinião acerca das ‘lindas’ palavras comandadas a distância de Bornito e muito menos consegue actualizar o seu próprio website – vai manter-se no silêncio, dado ao facto de ele não ser oportunista o suficiente para aproveitar a vulnerabilidade apresentada neste momento pelo sector defensivo do maior adversário de todos nós (Jes/MPLA).


É preciso mostrar-se a Jes que o limite da paciência já foi atingido. É preciso dizer-se claramente que ele já não tem conseguido dizer coisa com coisa nos últimos tempos. É preciso realizar-se as eleições presidenciais directas em 2010 e não em ‘2100’. É, sobretudo, preciso colocar-se um ponto final aos abusos e à arrogância constantes do cidadão José Eduardo dos Santos.


Vamos lá, senhoras e senhores da política angolana! Sejam cada vez mais criativos, activos e abertos. Procurem consultar mais os vários angolanos cheios de ideias, dentro e fora do país, para a vossa inspiração.


NB: Amigo Samakuva, o senhor conhece o site www.youtube.com? Se não conhece, saiba que as possibilidades nele oferecidas são gratuitas. Muito obrigado.

 

-- Nota: Consulte --
* Últimos artigos/relacionados publicados: - Pedro Veloso no Club-k



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: