Luanda - O basquetebolista angolano Silvio Souza, a jogar na Universidade de Kansas (Estados Unidos), foi suspenso por dois anos, da Associação dos Desportos Universitários (NCAA), por violação dos regulamentos, apurou hoje a Angop.

Fonte: Angop

De acordo com o canal desportivo norte-americano ESPN, a decisão surgiu depois do consultor da marca desportiva Adidas, T.J. Gassnola, testemunhar no tribunal federal, sexta-feira, que pagou ao representante do jogador, Fenny Falmagne, para que Sílvio representasse a formação de Kansas.

 

Segundo o regulamento da NCAA, é proibido os jogadores universitários efectuarem contratos, receberem salários, bónus referente ao seu rendimento desportivo ou para representar uma determinada universidade, pelo que o representante do angolano é acusado de ter recebido um valor monetário para o efeito.

 

“Em meus mais de trinta anos de treinamento no basquetebol universitário, nunca testemunhei um castigo tão voraz e vingativo contra um jovem que não fez nada de errado", disse Bill Self, técnico da Universidade de Kansas, em um comunicado divulgado logo após a decisão da NCAA, realçando que “tirar a oportunidade do atleta jogar é vergonhoso e um fracasso da Associação dos Desportos Universitários”.

 

A NCAA disse que Sílvio Sousa, que não efectuou nenhum jogo esta temporada, fruto do mesmo processo, pode recorrer da decisão ao Comité de Reintegração de Atletas-Estudantes da I Divisão.

 

O director desportivo da universidade, Jeff Long, afirmou que vão recorrer da decisão do comité.

 

Contudo, Sílvio Sousa, de 2,06 metros e 21 anos de idade, poderá jogar num outro campeonato, uma vez que os regulamentos da NCAA não se estendem às outras competições.

 

Ainda assim, tendo em conta a sua boa prestação na temporada passada, o atleta, campeão africano em sub-16, poderá ocupar um lugar no draft 2019 (processo de selecção de jogadores para NBA).

 

No caso de ser escolhido por uma das equipas da liga principal norte-americana, no próximo mês de Junho, Sílvio poderá jogar, uma vez que se trata de uma prova diferente.

 

Caso não seja escolhido, o jogador deverá procurar outro campeonato, podendo regressar ao campeonato universitário apenas depois de dois anos. Segundo uma fonte próxima, o extremo-poste angolano tem convites para rumar ao campeonato espanhol.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: